CUJO

SINOPSE: Frank Dodd está morto e a cidade de Castle Rock pode ficar em paz novamente. O serial killer que aterrorizou o local por anos agora é apenas uma lenda urbana, usada para assustar criancinhas. Exceto para Tad Trenton, para quem Dodd é tudo, menos uma lenda. O espírito do assassino o observa da porta entreaberta do closet, todas as noites. Nos limites da cidade, Cujo - um são-bernardo de noventa quilos, que pertence à família Camber - se distrai perseguindo um coelho para dento de um buraco, onde acaba sendo mordido por um morcego raivoso. A transformação de Cujo, como ele incorpora o pior pesadelo de Tad Trenton e de sua mãe, e como destrói a vida de todos à sua volta, é o que faz deste um dos livros mais assustadores e emocionantes de Stephen King - Stephen KING - Editora SUMA DE LETRAS - 2016 - 376 páginas.

CUJO foi lançado na década de 1980 com o título original CÃO RAIVOSO. Após anos esgotado nas livrarias, a Suma de Letras nos presenteou com essa edição lindíssima em capa dura, ótima tradução e conteúdo extra. Ele está entre os lançamentos da editora para o selo "Biblioteca Stephen King".

A história se passa na cidade fictícia de Castle Rock, onde conhecemos duas famílias que serão o foco da narrativa: os Trenton e os Camber. Primeiro somos apresentados à Donna e Vic Trenton e seu filho Tad, que se mudaram há pouco tempo para o interior do Maine e têm uma vida muito confortável e, aparentemente, feliz. Donna ainda não se adaptou à nova realidade nesse lugar e passa por um período turbulento em que questiona suas escolhas e reflete sobre a vida que está levando como dona de casa, após ter se mudado de Nova York contra a sua vontade; enquanto Vic, trabalha com propagandas publicitárias e ganha a renda da família, porém enfrenta problemas conjugais após alguns conflitos; e Tad é uma criança bastante amável, que começa a ser assombrada durante a noite por um monstro que fica em seu closet.

O outro núcleo da obra é composto por Charity, Joe e Brett Camber. Joe é mecânico e tem uma oficina no celeiro de sua casa, sendo um marido dominador e abusivo, que maltrata a mulher e o filho; e para manter o "equilíbrio" e evitar brigas, Charity é sempre submissa e sofre com as atitudes do esposo, enquanto luta para guiar o filho Brett para um futuro melhor com novas possibilidades, já que o garoto está cada vez mais parecido com o pai. Eles são donos de Cujo, um cachorro são-bernardo gigante, muito atencioso e obediente. Há partes em que lemos os pensamentos do animal, mostrando como ele é preocupado com seus donos e o quanto quer agradá-los, isso me deixou encantada com ele. Porém, um dia, durante uma perseguição a um coelho, Cujo fica com a cabeça presa em um buraco e é mordido por um morcego, contraindo raiva. Desde então, acompanhamos a transformação causada pela doença do seu ponto de vista, no qual ele narra as dores fortes que sente e a vontade desenfreada de matar.

Com o desenrolar da ação, chegamos ao centro da trama: após uma série de acontecimentos, Donna e Tad precisam lutar pela própria vida e se proteger de Cujo. Confesso que achei que demorou muito para chegar a essa parte, porém, a partir desse momento, testemunhamos o instinto de sobrevivência do ser humano aflorar, o desespero e a luta desenfreada de uma mãe para salvar seu filho. São momentos longos de muita aflição, em que tudo parece dar errado e que despertam diversos sentimentos no leitor, desde o medo e a preocupação, até à raiva. Nesse momento de desespero, Cujo representa para Tad, o monstro do closet que sempre o persegue, e para Donna, um castigo por todos os seus erros.

Foi o terceiro livro do King que li e, definitivamente, este foi o mais tenso. Não é um livro de terror que causa medo/susto, mas é muito intrigante e envolvente, deixando o leitor agoniado com o suspense das cenas. Achei incrível a forma como o autor conseguiu abordar tantos aspectos cotidianos e explorar o psicológico dos personagens: problemas no casamento, relações abusivas, violência, traição, vida social, etc. O texto é bastante descritivo, mas não de forma maçante. Finalizei a leitura bem antes do que eu esperava, devido à ânsia de saber o destino de cada personagem.

Para mim, foi completamente desnecessária a associação sobrenatural que foi feita entre o cachorro com raiva e o serial killer morto, Frank Dodd. Não tem relevância nenhuma na obra, considerando que a doença do animal é que gerou seus comportamentos assassinos, e não um espírito maligno. Isso não afeta a qualidade da história, mas não faria a menor falta se não estivesse presente.

Ao final do livro, há uma entrevista feita com Stephen King em que ele conta sobre suas experiências como escritor, sua carreira e de onde tira suas inspirações para criar. A inspiração para escrever CUJO, surgiu em um dia em que precisou levar sua moto à oficina e, chegando lá, ela parou de funcionar; para seu desespero, apareceu um cachorro são-bernardo enorme rosnando e dando indícios de que iria atacar, até que o dono apareceu e acalmou o animal.

Em CUJO, fica muito evidente a habilidade que Stephen King tem de pegar uma situação comum e transformá-la em algo tenso e desesperador. É um livro muito bem escrito, que envolve muito o leitor. Indico a leitura para fãs de suspense e terror psicológico. Espero que gostem.




Compartilhe este post:

Sara

Mineira, bookaholic e futura fisioterapeuta. Sou apaixonada pela vida e por tudo que ela nos oferece. Ler, viajar, conversar, dançar, comer e dormir são algumas das coisas que mais amo.

23 COMENTÁRIOS

  1. Sou fã do trabalho que o Mestre King faz. Aliás, ele é perfeito nesse quesito de transformar algo que poderia ser simplesmente comum e transformar em algo que acabe nos deixando com os cabelos em pé!
    Só tinha lido este livro na primeira versão, aliás, num exemplar bem surrado da biblioteca da minha cidade, mas essa nova edição está maravilhosa!Aliás, todos estes com capa dura que tem sido lançados, estão perfeitos!!
    Espero poder reler a obra em breve.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Essa edição ficou ótima, vale a pena, apesar dos preços salgados. King realmente tem esse poder de usar a criatividade para nos assustar. Beijos.

      Excluir
  2. Uauuuu! Apesar de você dizer que Cujo não causa medo ou terror confesso que ainda não me sinto psicologicamente preparada para ler um livro do King especialmente esse que envolve cachorro.
    Também achei desnecessária essa associação entre o assassino e a mudança de comportamento do cão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chelle. Algumas pessoas realmente tem um certo receio para ler King hahaha. Mas se quiser ler um dia, comece por livros mais finos e leves. Beijos.

      Excluir
  3. Não sou lá de ler terror mas fui com a cara desse livro por como ele parece trabalhar tão bem a tensão dos personagens e a situação. Acompanhar essa família, entender seus medos, ver as coisas dando errado e torcer pra um fim bom deve ser legal. Parece que a leitura pode arrastar um pouco mas quando pega o embalo também é só ansiedade pra gente saber o que acontece a seguir. E a ideia do cachorro como o grande terror da história é bem louca e interessante. Sem ser aquela coisa do sobrenatural, algo mais real, vi graça. Deu vontade de ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cristiane. Com certeza, a história aborda coisas mais reais com toque de horror, mas não coisas sobrenaturais e difíceis de crer. Espero que leia e goste. Beijos.

      Excluir
  4. Ao contrário de muitas pessoas, eu nunca li nada do autor e sinceramente nunca me interessei em saber mais sobre as histórias de seus livros porque é um gênero que eu não gosto, por isso, Cujo eu só tinha visto fotos, não sabia do que se tratava e, sinceramente, mesmo não sendo meu gênero preferido, fiquei realmente curiosa.
    Como você falou, não parece ser um livro que causa medo, mas que é mesmo instigante e envolvente, e você me deixou envolvida com a história só pela resenha. Deu muito vontade de lê-lo e já vou anotá-lo aqui, espero poder lê-lo.

    Beijos,
    Magia é Sonhar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Fico feliz que tenha gostado. =) Algumas vezes precisamos deixar os preconceitos de lado e abrir a mente para novos gêneros. Existem livros do King que são mais finos e leves. Espero que goste. Beijos.

      Excluir
  5. Oi, Sara.

    Tanto o cachorro raivoso, quanto o tal espírito do serial killer, são temíveis. Afinal, ambos são movidos por algo em comum!

    ResponderExcluir
  6. Olá Sara!!
    Eu fico babando em resenhas sobre obras do King, não li livros dele ainda só vi filmes e já sou fã, imagina qdo conseguir ler os livros então?
    Este tbm já está na listinha de desejados!
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline. Hahahah Que legal, espero que goste dos livros dele quando iniciar as leituras propriamente ditas =D. Beijos.

      Excluir
  7. Oi Sara.
    Ainda não li nada do autor, pois não gosto muito do gênero terror. Depois eu acabo sonhando com as coisas que vi em filmes e séries ou que li nos livros.
    Fiquei bem interessada em ler Cujo, por ser mais suspense psicológico. Quem sabe eu comece por esse livro. Tem outros livros do autor que seja desse gênero ou não terror que você possa indicar?
    As partes com a perspectivas de Cujo deve ser bem interessante, mas agoniantes também. Fiquei bem curiosa para saber como o autor desenvolveu a sua linha de raciocínio e fala.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pamela. Alguns livros do King não são terror mesmo, como: Cujo, Joyland, A maldição,... Procure alguns vídeos na internet sobre por onde começar hahaha. A dica que dou é que não comece pelos calhamaços, leia primeiro algo menor para se adaptar à escrita do autor. Boas leituras. Beijos.

      Excluir
  8. Oi Sara!
    Que intrigante a história de modo geral, Stephen King nunca decepciona nas suas obras e na sua criatividade.
    Achei criativo lermos um pouco sobre a percepção do cachorro, e imagino que a partir do momento que ele contrai raiva o livro fica eletrizante. Outro aspecto positivo na minha opinião foi o autor inserir outros temas importantes como relações abusivas na obra. Realmente mesmo só lendo a sua resenha não achei necessário a inserção do sobrenatural.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Catarina. Sim, todos esses fatores tornam a obra muito bacana. Beijos.

      Excluir
  9. Oi Sara!
    Eu adorei essa capa de Cujo, mas eu não sei se leria, eu não sou muito chegada nesse gênero de histórias, e mesmo eu querendo sair da zona de conforto, ainda fico meio receosa para entrar no Terror / horror.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kleyse. Entendo... Se um dia quiser sair da zona de conforto, esse livro é mais um thriller. Beijos.

      Excluir
  10. Olá!!

    Tenho muito interesse em ler Stephen King, parece só ter histórias boas. Acho as capas dos livros do autor ótimas. Adoro livros de terror, filmes nem tanto!! haha beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Eduarda. As obras do autor são muito interessantes e bem escritas, vale a pena. Essas edições mais recentes da Suma de Letras da coleção "Biblioteca Stephen King" são as mais bonitas. Também não gosto de filmes de terror, mas amo os livros hahaha. Beijos.

      Excluir
  11. Sara!
    Não tem como não gostar dos livros do King. Fiquei impressionada ao ver que o terror vem através de um cão raivoso que aterroriza a família e a cidade. Quero poder acompanhar todo esse temor...
    “A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rudynalva. Stephen King, como sempre, botando o terror em coisas banais hahaha. Beijos.

      Excluir
  12. Olá Sara,
    Como sempre o autor nos fazendo ter medo até dos animais que temos em casa, rsrs.
    Eu esperava que o livro fosse voltado para o assassino, me surpreendi bastante por ser o cachorro o foco do "terror", e gostei de ter narrações com a visão dele para podermos notar a diferença depois da doença.
    Sem dúvidas quero ler, adoro os que já li do autor e esse me conquistou!
    Beijos

    ResponderExcluir