DEPOIS DA QUEDA

SINOPSE: Um casamento tóxico. Uma rede de mentiras. Neste romance de suspense magistral, é difícil saber em quem podemos confiar. Depois de ter um colapso mental ao vivo, durante uma transmissão de TV, Rachel Child, antes uma jornalista obstinada e que desbravava o mundo, passa a viver totalmente reclusa. Fora isso, porém, ela leva uma vida ideal, com um marido que parece ideal. Até que, numa tarde chuvosa, um encontro fortuito abala profundamente aquela vida perfeita, assim como seu casamento e ela mesma. Sugada por uma conspiração cheia de decepções, violência e loucura, Rachel precisa encontrar forças nela mesma para superar medos inimagináveis e verdades transformadoras. Emocionante, sofisticado, romântico e cheio de suspense e tensões, Depois da queda é Dennis Lehane em sua melhor forma - Dennis LEHANE - Editora COMPANHIA DAS LETRAS - 2018 - 392 páginas.

Queda é, de modo geral, o ato de cair. A definição, assim como os sinônimos da palavra, nada sugerem como ou quando ocorre a ascensão; temos apenas o esclarecimento do substantivo, algumas explicações sobre frases com o uso da palavra e a compreensão do sentido figurado de que queda também pode ser o desmoronamento, a ruína, a completa decadência de algo ou alguém.

Todos nós caímos. Contudo, o modo com que reagimos ao cair e como (ou se) vamos nos levantar, pode divergir completamente. Rachel, protagonista do livro, coleciona quedas. Sua sucessão de tombos é ampla, abrangendo desde a infância conturbada com a mãe severa, cuidando dela sozinha e o pai indo embora, até a adolescência na escola e a vida adulta. A protagonista contempla a queda em todas as áreas de sua vida: o declínio de sua carreira como jornalista, a falha na busca por seu pai, a vergonha por sua ruína com casos amorosos, além da relação destruída com a pouca família que conhece.

Entretanto, o ponto principal da leitura não é o tanto de vezes em que Rachel desmorona. O foco está em como ela se reconstrói. Lehane também brinca com o fato de como podemos chegar a um ponto de ruptura depois de tantas quedas, depois de termos lidado com tanta ruína, e como cair e todas as inúmeras situações que resultam de irmos ao chão uma e outra vez pode nos transformar.

O autor constrói uma personagem de gênio forte, marcada pela criação difícil da mãe e pelo lapso de uma figura paterna, e acompanhamos o desenvolvimento da protagonista com essa estrutura psicológica abalada. DEPOIS DA QUEDA tem uma narrativa crítica, com muitos levantamentos impactantes, e é uma leitura irônica, engraçada e complexa como a própria Rachel.

Tive uma série de dificuldades com essa leitura. É o primeiro livro que leio de Dennis Lehane e sou ansiosa demais para ler um suspense sem pirar um pouquinho. Além disso, por vezes, eu não consegui me identificar com a personagem, tamanha multiplicidade de facetas que Rachel apresenta e como ela as relaciona com suas ações e atitudes. Eu me senti distante da protagonista, algo que é incomum para mim, e acabei por gostar e me aproximar de um personagem que se mostrou o mais mentiroso e corrompido de toda a história, o que me deixou muito indignada por um tempo (fato que, mais tarde, num estado mais racional, notei que pode ter sido proposital, fazendo o livro ganhar alguns pontos por levantar a questão de que, no fundo, não conhecemos total e incondicionalmente ninguém).

Algo que me frustrou enquanto lia, e até mesmo após o término da leitura, enquanto refletia sobre ela, foi a forte impressão de que o livro estava mais disposto a chocar, com suas muitas reviravoltas, do que ter uma trama verossímil. Eu já esperava que, depois de determinada queda, uma maior (e, por vezes, mais irreal) aconteceria, estragando toda a surpresa dos fatos. Fiquei um tanto cética durante algumas passagens com o comportamento da protagonista, que seguia uma linha de atitudes que, de acordo com o que li e compreendi de sua personalidade, não previ e nem acreditei que ela tomaria.

A conclusão da história também deixou a desejar para mim. Culpa da minha ansiedade, ou não, gosto de finais que fecham a narrativa, dando às páginas um ponto final e não reticências. As últimas palavras do livro deixam o enlace do término a cargo do leitor e do que achamos que aconteceu, o que não me agradou.

DEPOIS DA QUEDA foi uma leitura problemática para mim. Em meio às reflexões, às frustrações com os personagens e à previsibilidade das reviravoltas, o livro conseguiu me consumir, levando-me a análises profundas, mesmo com as dificuldades que encontrei. Pensava nele constantemente e pegava-me contemplando quanto das diversas circunstâncias traumatizantes e das transitoriedades da vida nos encaminham para lugares e para estados de ser, ver e sentir que são inesperados, e me fez temer (e admirar) o cair com uma potência renovada.

Afinal, a queda é inquestionável. Cedo ou tarde, hora ou outra, amanhã ou daqui a dez anos, nós vamos cair. A incógnita, é: o que seremos depois da queda?


Compartilhe este post:

Layla

Estudante de psicologia e da arte de fazer das emoções palavras e das palavras óticas com grau certo pra qualquer um que queira ver as coisas de maneira diferente.

14 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Layla.

    Para a Rachel, não deve ser fácil depois de tantos declínios, se reerguer e seguir em diante, com os danos causados e deixados...

    ResponderExcluir
  2. Em algum momento vamos nos deparaR com a temida queda porém o importante é saber se reerguer e continuar em frente.
    Achei a premissa além de um tanto quanto confusa, repleta de elementos comuns que só tem como objetivo deixar a trama chocante e rápida.
    Depois da Queda infelizmente não me atraiu.
    Parabéns pela resenha honesta e sincera Layla.

    ResponderExcluir
  3. Só tinha visto o livro por aí, pelo mundo literário, mas resenha é a primeira que leio. E deu a entender que o livro foge bem da realidade. Talvez a proposta tenha sido essa realmente, mas até que ponto isso modifica a nós mesmos?
    Por mais pontos negativos que o livro tenha tido, ele fez pensar e refletir. E isso no meu ponto de vista, é maravilhoso!
    Todos nós caímos, fato.
    Mas quantos de nós se levantam? Ou como reagem a estes tombos? Eu poderia ficar aqui citando os meus por dias consecutivos...
    Mas, quero sim ler a obra se tiver oportunidade.Talvez eu precise da força de Rachel e da falta de noção do autor.
    Aliás, que autor hein?? Sobre Meninos e Lobos é um ícone não só na literatura, como também no cinema.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Apesar de ter me interessado pela sinopse, achei meio confuso. Não conhecia ainda até ler sua resenha. Estou meio ligada nos livros que incluem um suspense e talvez eu dê uma chance a este.

    ResponderExcluir
  5. Já li muitos livros do Lehane, já vi todas as adaptações dele para o cinema e estava ansioso por esse livro. Porém, a decepção foi forte. O livro é chato de se ler, a história é chata, os personagens tem o seu carisma, mas sem uma história boa, ninguém sobrevive. Três estrelas eu acho que é muito para a qualidade apresentada pelo livro.

    ResponderExcluir
  6. Annyeong, Layla!

    Primeira vez que conheço esse livro, mas não me interessei pela leitura, a capa não me agradou nem a premissa, quem sabe as outras do autor me agradecer. Bjs e boa sexta feira!

    ResponderExcluir
  7. Gosto de livro nesse estilo e até achei interessante a personagem e o jeito dela, isso de mudar, as várias facetas...talvez crie um clima de não prever muito o que pode acontecer...sei lá, aí só lendo. Achei estranho é não se conectar muito com ela. Fica meio chato né. Não gosto quando não vejo aquela graça, não sinto aquela empatia por um personagem assim.
    As reviravoltas podem ser legais se no final tiver aquela razão, aquele bom sentido pra terminar a história. Não fica bom quando só jogam mais e mais coisas e a trama se perde.
    Não sei se seria um livro que leria facilmente, não me chamou tanta atenção assim. Mas quem sabe alguma hora né. A ideia me agrada, agora ver como foi feito mesmo aí só lendo pra entender tudo isso.

    ResponderExcluir
  8. Oi Layla.
    A história parece passar uma mensagem bacana sobre se reerguer mesmo após a queda e quando você acha que não dá para piorar, as coisas pioram, mas você é forte e vai superar isso.
    Eu entendo que é uma ficção, mas não gosto muito quando a trama é muito mirabolante e o que está acontecendo é irreal, a não ser que seja proposital, do gênero realismo fantástico.
    Gosto bastante de suspense, mas esse não me interessou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oii, parece ser um ótimo livro, esse me despertou o interesse

    ResponderExcluir
  10. Oi Layla!
    Quando li a sinopse achei mais interessante do que quando li sua resenha. Acho legal essa ideia de mostrar a personagem se reerguendo mas uma pena que a autora se preocupou bem mais em chocar do que tornar a trama mais real.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi Layla,
    Gostei muito da resenha, e mais ainda dessa jogada que o autor teve de confundir o leitor, só li um de seus livros, no começo tinha achado meio cansativo, mas aí percebi como ele foi me envolvendo na trama, eu só esperava que seguisse uma linha mais investigativa...
    Difícil acompanhar um personagem com tantas facetas, mas ao mesmo tempo ver que ela tenta se desligar das coisas ruins que passou é muito bom, gosto de ver evolução dos protagonistas!
    Como foi indicação de um amigo (aliás, ele indicou todooos do autor) eu irei ler!
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Layla!
    Não tinha lido nd sobre o livro ainda, gostei bastante, parece prender a gte e a leitura parece ser boa, gosto de livros que deixam o leitor pensativo depois, que trás essa mistura de sentimentos, espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia esse livro, o que mais gostei é do suspense causado, nessas situações o final é sempre uma surpresa. Esse livro ja foi para a lista de futuros livros para comprar.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Layla!
    O livro parece ser bem interessante. Essa é a primeira vez que leio algo sobre essa história, pois adoro um bom suspense.
    Bjos

    ResponderExcluir