RASTRO DE SANGUE: JACK, O ESTRIPADOR

SINOPSE: Audrey Rose não é a típica donzela inglesa do século XIX. Quando ninguém está olhando, a jovem realiza autópsias secretas no laboratório do tio, contrariando a vontade de seu pai e todas as expectativas da sociedade. Ela pode não saber fazer um penteado elaborado, mas faz um incisão em Y num cadáver como ninguém. Em meio à violência da Londres vitoriana surge uma personagem audaciosa e transgressora. Encantada pela ciência forense, ainda engatinhando à época, Audrey se utiliza de técnicas e métodos obscuros para encontrar novos caminhos que ajudem a identificar Jack, o Estripador e cessar os horrores de Whitechapel para sempre - Kerri MANISCALCO - Editora DARKSIDE - 2018 - 354 páginas.

RASTRO DE SANGUE: JACK, O ESTRIPADOR é o primeiro romance da autora Kerri Maniscalco e o primeiro volume de uma nova série lançada pela editora Darkside, que já promete inspirar outros personagens clássicos da era vitoriana, como Drácula e Houdini. A edição, como sempre, está belíssima, contendo ilustrações incríveis que complementam a obra, além da capa dura clássica.

Tudo acontece na Londres do século XIX, onde conhecemos a família Wadsworth e uma protagonista bastante excêntrica. Contrariando todas as expectativas, Audrey Rose não é uma típica dama: com apenas 17 anos, ela inicia seu aprendizado de medicina forense, tendo aulas com seu tio Jonathan às escondidas, realizando autópsias e participando de investigações de crimes brutais. Após ter perdido a mãe quando criança, por uma doença que ela mesma transmitiu, a garota perde sua fé e começa a se interessar pela ciência.

Edmund Wadsworth, o patriarca da família, tornou-se superprotetor com a filha após a morte da esposa, sempre com medo de que sua garotinha seja contaminada com algum vírus fatal; assim, Audrey está sempre mentindo e fugindo do pai para estudar os mortos no laboratório de seu tio. Edmund desaprova tais interesses da filha, devido ao contato com "sujeiras" e às chances da reputação da menina ser arruinada, visto que esse tipo de profissão era condenada na época. No laboratório de autópsia, a senhorita Wadsworth conhece Thomas Cresswell, um rapaz inteligente e arrogante, que também faz aulas de medicina forense, mas, diferente de outros homens, acredita no potencial de sua parceira. Em meio aos mortos, ambos se aproximam e uma paixão floresce.

Quando prostitutas brutalmente assassinadas começam a ser encontradas em becos sombrios sem seus órgãos internos, toda a Londres entra em pânico e a Scotland Yard (polícia londrina) inicia a busca por Jack, o Estripador. Todas as vítimas desse psicopata cruel são estudadas por Audrey, Thomas e Jonathan, e, após perceberem que todas as mulheres tem alguma ligação à família Wadsworth, o trio começa sua jornada de investigação para desmascarar Jack.

Fiquei bastante surpresa ao ver uma protagonista tão peculiar num livro que se passa na era vitoriana. Audrey é uma personagem forte e à frente de seu tempo, sempre questionando a sociedade machista e hipócrita da época, desafiando todos os homens que tentam impedir seus objetivos e mostrando que é tão inteligente e capaz quanto qualquer outro; ela frisa muito a importância das mulheres se imporem e lutarem pelo que querem, indo contra tudo e todos. Esse empoderamento feminino é um ponto muito positivo!!! Ela prova que as mulheres podem se interessar por vestidos, festas e fofocas, mas também por ciências e outros conhecimentos designados somente para rapazes na época. Também é muito bacana ver como ela se empenha em trazer justiça às vitimas massacradas, que eram marginalizadas e sem oportunidades na vida, sempre pensando nelas como pessoas que tinham famílias, sentimentos, dificuldades, e não somente como prostitutas que não fariam falta.

Minha principal crítica negativa é com relação à motivação de Audrey em investigar os assassinatos,  pois achei todas as justificativas extremamente fracas e infundadas. Não me convenceram! Ficou parecendo que a autora só quis inventar um motivo para dar seguimento à narrativa, focada em suspense policial. Além de que a personagem é bastante inconsequente às vezes, o que faz o leitor questionar sua esperteza ("sério que você vai fazer isso mesmo, querida?").

Antes de ler RASTRO DE SANGUE: JACK, O ESTRIPADOR, imaginei que fosse uma obra mais focada no assassino e seus crimes, evidenciando mais as etapas de investigação. Porém, diferente de minhas expectativas, a história é mais ficcional, voltada para o suspense mesclado com romance; isso me despertou um certo desânimo. Mas, na medida em que eu lia, mais envolvida eu ficava e mais eu gostava dos personagens, inclusive do romance entre Thomas e Audrey Rose. A habilidade de escrita de Maniscalco me surpreendeu e se mostrou cativante.

Ao final da história, a autora escreveu um capítulo contendo as imprecisões históricas e alterações feitas para atender aos seus objetivos para a trama. Esse conteúdo extra é muito interessante, principalmente para quem se interessa pelo serial killer Jack, o Estripador. Kerri Maniscalco foi muito inovadora e soube criar uma ótima obra. Com suspense e romance na medida certa, vários questionamentos sociais, empoderamento feminino e muitas reviravoltas, o livro prende sua atenção com facilidade e desperta sua curiosidade, o que impulsiona a leitura. Indico RASTRO DE SANGUE: JACK, O ESTRIPADOR para os apaixonados por romances policiais.


Compartilhe este post:

Sara

Mineira, bookaholic e futura fisioterapeuta. Sou apaixonada pela vida e por tudo que ela nos oferece. Ler, viajar, conversar, dançar, comer e dormir são algumas das coisas que mais amo.

24 COMENTÁRIOS

  1. Uma querida amiga já leu Rastro de Sangue e teve essa mesma decepção! Pela premissa achou que o livro seguiria o caminho de investigação mas o romance teve um peso maior. Também achou as motivações da Audrey fracas.
    Torçamos para os próximos livros serem melhores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chelle. Sim, estou torcendo bastante para que os próximos livros superem esse. Beijos.

      Excluir
  2. Oi Sara.
    A autora parece ter feito uma bom trabalho com a introdução de uma personagem feminina decidida, forte e obstinada.
    Pensei que haveria mais descrição da parte forense e não tanto foco no romance. Mas, desde que a narrativa seja cativante, a leitura torna-se muito envolvente.
    Achei ótimo a autora colocar uma nota no final sobre as modificações feitas na história para encaixar na sua trama.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pamela. Realmente, a criação da personagem foi bem feita. A leitura foi boa, apesar de ter pouca descrição de cenas investigativas. Sim! A nota da autora foi uma ótima ideia. Beijos.

      Excluir
  3. Oi, Sara.

    A Audrey, por em momento algum, se sentir amedrontada e ir com afinco rumo à uma investigação, mesmo essa não sendo a vontade aprovada por seu pai, mostra ser diferenciada. E ela tendo o apoio do Thomas, já é um caminho meio andado para tentar desvendar a identidade do assassino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daiane. Sim, é bem bacana. Beijos.

      Excluir
  4. Em primeiro lugar é preciso mais uma vez falar sobre o trabalho primoroso da DarkSide! Caramba, que Editora maravilhosa! As capas são um escândalo de tão lindas e a gente praticamente come os livros pelos olhos.
    Primeira resenha que leio desta obra e não vejo a hora de poder ler o livro(que já está na lista de desejados)
    Fiquei meio apreensiva sobre não ter a parte mais fundamentada sobre o assassino e seus crimes, por mais que já se tenha falado e escrito sobre Jack, é tão prazeroso ainda ler sobre ele.
    Mas quem sabe a autora não corrija isso nos próximos volumes?
    Lerei!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Confesso que não gostei da capa... E isso é algo particular, pois não gosto de pessoas na capa de livros; mas o restante da edição está fabulosa. É uma obra muito bacana, vale a pena ler, principalmente quem gosta de romance com protagonistas empoderadas. O foco da autora é mais no desenrolar da ficção e na vida pessoal dos personagens, não é tanto no assassino não... Espero que goste. Beijos.

      Excluir
  5. Olá Sara!
    A Dark arrasa nas edições, essa capa ficou perfeita e pelo que venho acompanhando sobre o livro, está agradando mtos leitores, estou louca pra ler e conhecer mais a histórias, desde que vi o filme Do Inferno me interesso pela história, espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline. Confesso que não gostei da capa, mas o restante da edição compensa. A HQ "Do inferno" também é muito elogiada. Espero que goste da leitura. Beijos.

      Excluir
  6. Humm, tinha pensado que seria mais pro lado do terror e aquela coisa de assassinato e tal, muito mais sangrento e violento. Mas gostei que não seja por esses lados, viu. Um suspense, uma coisa até com romance me chamou bem mais atenção. E já adorei essa personagem porque é bem diferente do que imagino quando penso em mulheres da era vitoriana. Achei legal que ela tenha interesses tão diferentes, que não fique presa naquele padrão de mulher imposto. Só por isso, por essa força de vontade de fazer o que gosta e por gostar de algo tão "fora do comum" já adorei. Parece que tem uns defeitinhos na narrativa, essa coisa de motivação dela e tal, mas aí só lendo pra ver. Me chamou atenção e gostei da ideia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cristiane. Antes da leitura também tive esse mesmo pensamento, mas isso não tirou a qualidade da obra hahhaa Ainda bem... A protagonista é o grande diferencial desse livro! Beijos.

      Excluir
  7. Estou ansiosa para lê-lo já faz um tempinho. Adoro personagens que se põem em primeiro lugar independente de tudo e eu amei sua resenha, foi bem detalhada e transparente, já tinha lido outras sobre, mas sempre pareciam soltas. Parabéns pelo trabalho :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alice. A protagonista empoderada é algo muito positivo, adorei isso na obra. Fico muito feliz que tenha gostado da resenha hahaha =D, obrigada. Beijos.

      Excluir
  8. Oi Sara!
    Quando eu vi a editora lançar a capa, fiquei encantada com a beleza dela.Eu não sou chegada a esse tipo de história, mas quando vi a sinopse fiquei curiosa e instigada a ler. Sempre gostei de algo relacionado a investigação, desde filmes até séries, eu tentava junto com os protagonistas quem é o criminoso. Esse livro já está nos meus desejados para comprar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kleyse. Apesar de não ter gostado da capa, a história em si me ganhou hahahha. A narrativa é bem intrigante, apesar de alguns erros da autora. Beijos.

      Excluir
  9. Oi Sara!
    Adorei a personagem principal, ela me cativou bastante só lendo a resenha, parece uma personagem forte e decidida. Acho que essa mescla de suspense e romance parece muito interessante, pretendo ler com certeza. Além disso que edição impecável da darkside, apaixoooooooonada (já queria o livro só pela capa, confesso auahuha).
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Catarina. A Audrey é fantástica! Também me cativou muito kkkkk. A edição está maravilhosa. Beijos.

      Excluir
  10. Este livro está em minha lista de desejados, quero muito ler

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Maria Eduarda. Espero que goste. Beijos.

      Excluir
  11. Uau, esse livro é chocante para mim, tenho alguns livros que fala sobre serial killer e são histórias bem interessante e difícil de entender. Quero muito ler esse livro, esse é meu primeiro contato com ele e gostei muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Paula. A história deste livor não é difícil de entender não, talvez isso facilite sua leitura. =) Espero que goste! Beijos.

      Excluir
  12. Oi, Sara!!
    Gostei muito da história do livro e mesmo sendo a primeira resenha que leio sobre esse livro fiquei bem empolgada para fazer essa leitura.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marta. Pessoas que gostam de romance mesclado com suspense vão adorar a obra. Beijos.

      Excluir