SER OU NÃO SER?


Ontem, eu assisti ao vídeo de um canal de quadrinhos que sigo, o PIPOCA E NANQUIM, e eles começaram com a seguinte frase: “Este vídeo é um oferecimento da editora PenDragon...”. Não é a primeira vez que eles fazem isso, existem outros vídeos onde eles deixam claro que estão sendo pagos para falar de uma determinada obra. O mesmo acontece com outro canal, o JOVEM NERD, onde eles sempre informam o público de quando fazem algo baseado na opinião pessoal e quando fazem algo que está sendo pago por alguma empresa, uma propaganda.

Considero essa a forma mais honesta de se comunicar com o público. Infelizmente, a maioria dos canais, blogs, instagram que sigo, preferem fazer diferente: mascaram a propagando, ou o compensação por um produto recebido, em opinião pessoal, fazendo o público pensar que eles realmente pensam da forma que se expressam. Muitas vezes, essas pessoas realmente gostam, mas muitas outras vezes, não gostam e fazem uma atuação para passar a ideia que gostam.

Qual o problema disso? De forma objetiva, nenhum, cada um faz o que quer, da forma que quer, dentro dos seus próprios limites. Mas eu, pessoalmente, acho mais honesto passar para o público aquilo que eu realmente penso, isso cria credibilidade, cria fidelidade, cria confiança. Por exemplo, se você diz que algo é bom, mesmo sem concordar, e quando seu público vai conferir e não gosta, ele começa a acreditar menos na sua opinião. Ninguém é obrigado a gostar de tudo, e o fato de você colocar no seu post ou no seu vídeo que o que irá apresentar é uma propaganda, não diminui sua credibilidade e nem a credibilidade do próprio produto. Pelo contrário. Além de que isso cria uma diferenciação no seu conteúdo, aumenta a confiança do seu público, porque ele passa a saber que quando você emite uma opinião, realmente é dessa forma que você pensa, e quando você faz uma propaganda, você avisa que está fazendo uma propaganda.

Claro que também existem aqueles que fazem média, que gostam de puxar o saco, porque acham que isso vai trazer mais benefícios, como parcerias, anunciantes, etc. Existe um canal bem famoso, cujo dono(a) afirma ser fã de Harry Potter. Certa vez, um amigo desse(a) youtuber confidenciou que ele(a) detesta Harry Potter, mas se diz fã porque o pequeno bruxo atrai visualizações. Vale a pena trabalhar dessa forma? Bem, acredito que vale, uma vez que o número de pessoas que faz o mesmo é enorme, e elas realmente conseguem seguidores, parcerias e anunciantes. Mas aí você precisa colocar na balança o quanto vale seu caráter. Se ele tem preço, então faça o mesmo, expresse opiniões falsas com a finalidade de conseguir o que deseja. Já eu, acredito que caráter não tem preço. Prefiro ser honesto, verdadeiro, sincero, mesmo que isso me custe anúncios e parcerias, do que ter que representar algo que vai contra minhas convicções.

Uma vez escreveram que nossos políticos, com toda a corrupção, são um reflexo de nossa sociedade, que é essencialmente corrupta. Se você se vende por curtidas, por um livro, por uma caixa de brindes, o que você não faria no mesmo lugar de políticos que são aliciados com milhões de reais? Certa vez, um taxista me contou que um passageiro conversou com ele por todo o percurso sobre corrupção, sobre como as pessoas perderam a noção do que é certo e errado apenas para conseguirem alguma vantagem em algo. O passageiro parecia ser uma pessoa centrada e consciente de como se comportar de forma honesta, sem perder sua essência. No fim da viagem, o passageiro pediu um recibo para apresentar para a empresa onde ele trabalhava e conseguir o reembolso. Só que ele pediu ao taxista para dobrar o valor da viagem no recibo, ou seja, para ele ganhar em cima da empresa. Então, onde fica a honestidade que ele se gabava? De que adianta você gritar contra a corrupção, se você é tão corrupto quanto?

Não existem níveis de corrupção ou de desonestidade ou de falsidade. Ou você é, ou você não é. Não existe vergonha em anunciar um produto, em dizer que você está fazendo propaganda de algo. Em deixar claro que você está recebendo para falar de algo. Afinal, se você tem um blog, um canal, um Instagram, e faz dele o meio de conseguir algum lucro, você está trabalhando de forma honesta, você está fazendo algo que muitos não conseguem. É mais do que justo receber por isso. Não precisa criar uma máscara para se passar por quem não é.

Um outro exemplo, é que muitos Instagrams mantém seus feeds cheios de fotos bonitas, bem montadas, perfeitas, e conseguem dezenas, centenas de seguidores. Aí você vai nos stories, e é sorteio atrás de sorteio, onde, para participar, a pessoa precisa seguir o Instagram. Muitos dessas contas, não todas, se recusam a postar fotos de sorteios no feed, exatamente para passar a impressão, para quem visita, que está conseguindo seguidores pelo conteúdo, mas, na verdade, a maioria dos seguidores vem de sorteios. Aí pergunto: qual a necessidade de se criar uma falsa verdade? Por que esse tipo de pessoa pensa que fazer sorteio é vergonha? Bem, criar sorteios não é vergonha, pelo contrário, demonstra que seu blog, seu canal, seu instagram, tem capital, tem parceiros, tem seguidores suficientes para você poder fazer essas promoções. E quando seu conteúdo é de qualidade, as pessoas que participam dos sorteios, quando eles terminam, elas não vão embora, não deixam de seguir.

A maioria das pessoas, desde sempre, se regem pelas aparências, por verdades que elas criam para preencher lacunas que não conseguem de outra forma, e acham que os outros não percebem isso. Bem, percebem, sim! É tão legal, tão bonito, quando você tem algo, seja blog, canal, ou qualquer outra coisa, que você mantém com qualidade, com verdade, com sinceridade, mesmo que isso não traga frutos tão rápidos quanto ser um personagem que representa o tempo todo.

Os maiores, mais bem-sucedidos e duradouros produtos, são aqueles que são bons, não aqueles que dizem serem bons. Você não precisa bradar ao vento que é grande, que é o melhor. Isso cansa e se perde. É mais duradouro, mais firme, você se tornar grande, você se tornar melhor.

Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

9 COMENTÁRIOS

  1. "Existe um canal bem famoso, cujo dono afirma ser fã de Harry Potter." qual sera esse canal hein hahahahhahahah SHADE KKKK

    ResponderExcluir
  2. Oi, Carl.

    Eu penso o mesmo que você, algumas opiniões são bem mascaradas.

    No entanto, ao mesmo tempo que algumas pessoas são honestas ao passar isso para o público, eu, de alguma forma, vou assistir e absorver aquilo sabendo que não é uma opinião totalmente pessoal e sincera. Eu, particularmente, vou ficar receosa.

    ResponderExcluir
  3. Se ninguém precisasse se esconder, por muitas vezes de si próprios, o mundo seria um lugar muito melhor.
    E isso não se estendo somente ao mundo virtual não. Nós todos, muitas vezes, temos que omitir nossas opiniões, nossos sentimentos, seja pelo bem comum ou simplesmente para conseguir alguma vantagem.
    E ai de quem vai lá e diz o que sente ou pensa! Acaba se passando por chato(a) e isso é o mínimo que vai ser dito.
    Eu não curto vídeos em blogs, não curto. Até vejo, quando são curtos(meu pouco tempo não ajuda em nada),mas puxa, você chegar num blog e ter vídeos de 20 minutos?? Pra que tudo isso? E eu fui falar que não gostava há um tempo, quase apanhei da dona do blog. Onde já viu eu não curtir os vídeos dela? Tipo, ela tinha tempo de fazer e eu tinha que ter tempo de assistir. E se fuuuu!
    Não adianta a gente pregar uma coisa e fazer outra, seja na sacanagem ou na vantagem oferecida.
    Mas hoje em dia, virou tudo uma grande máfia. Onde ninguém pode se expressar, dizer o que sente,que está sendo racista, preconceituoso, sem noção.
    E bora continuar fingindo e omitindo que é mais fácil não ter que se explicar a ter que ficar dando satisfação pra todo mundo.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Fato verdadeiro Carl!
    Já vi tantos blogs por aí mascarados, mostrando uma coisa que não é...
    Falta comprometimento em alguns ali mas eles insistem em flar que o blog tem... sqn!
    Mas isso no dia-a-dia tbm presenciamos infelizmente...
    Mas eu acho que uma hora máscaras caem e a vdd sempre permanece, então não adianta "vender" um produto cujo não existe d vdd...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Nossa, mas agora levantou umas questões que me fizeram pensar em tanta coisa...recentemente li um livro que só tinha erro atrás de erro e nem era tão bom, mas fui "comprada" pela ideia de um bom livro porque me venderam a excelência dele. O que aquele livro tinha de erro de concordância e de escrita e pontuação dava até um negócio na gente, sabe aquele nervoso? E em nenhum momento vi a pessoa falar dessas coisas na resenha dela. E olha, é gente que tá nessa de ser blogueiro faz anos, que tem uma voz, que eu gosto porque chega bem perto dos meus gostos e confio quando diz que algo é bom. Não acredito que gostou daquilo e depois de ler fiquei com a impressão de que falou bem porque era parceiro do autor. Sabe, esses pequenos detalhes fazem a gente ir perdendo aquela confiança na pessoa mesmo. E se perguntar quantas coisas ela realmente gostou e aquelas que não foi com a cara e disse ser bom...
    E corrupção é um outro negócio que é fogo discutir. A gente vê que faz pequenas coisinhas e nem percebe que o povo que tá ali sentando o pau faz a mesma coisa só que em larga escala. Benefício todo mundo quer. Não adianta falar mal e fazer o mesmo né. Achei bem interessante essa história do táxi por ilustrar isso. Faz a gente repensar em algumas coisas...

    ResponderExcluir
  6. Saber que algum blogueiro/youtuber, enfim, algum influencer digital é sincero em suas resenhas independente do produto ter sido bom ou não, com certeza vai me fazer retornar lá sempre que precisar. Acho que todo mundo que trabalha com parcerias já ficou na duvida sobre como se comportar tendo uma opinião negativa, eu mesma já fiquei. A dica que eu deixo é que: as pessoas veem até nós querendo conhecer o produto antes de comprar, então devemos ser sinceros. Sinceros com os nossos parceiros e sinceros com os nossos leitores! Como você mesmo disse, isso trás fidelidade — e desenvolve o nosso carácter.
    Ótima postagem!

    ResponderExcluir
  7. Falou e disse! É o que eu vivo dizendo e repetindo sobre corrupção e governo!
    Espelhos!!!!

    ResponderExcluir
  8. Verdade! Apenas verdades!

    ResponderExcluir
  9. Matéria muito boa essa, tudo verdade, eu sou do tipo que gosta de sorteios mas se a página for boa mesmo. E tipo, eu sigo loja que eu sei que nunca vou comprar nada porque não sou de comprar pela internet, eu gosto de ver os itens e por sorteio posso ganhar, até posso comprar quem sabe um dia. Eu sigo mesmo. Só não gosto quando a página começa a colocar ideologias ou política, se eu tô seguindo algo de entretenimento não quero outros assuntos no meu story.

    ResponderExcluir