SUBMISSA

SINOPSE: Eles não seguem as regras. Eles fazem as regras. Poder, sedução, dinheiro, submissão, dominação, dor e prazer… Nesse jogo que está prestes a começar, o amor não entra nas regras. Será que você está preparada? Evangeline nunca soube o que é viver no luxo, pois sempre teve que trabalhar duro para ajudar os pais e conseguir sobreviver em Nova York. Típica garota do interior, sente-se deslocada em meio à metrópole e percebe que ingenuidade e sinceridade, que sempre foram suas características mais marcantes, são vistas como defeitos pelos nova-iorquinos e, principalmente, por seu ex-namorado que a seduziu e a abandonou. Ele se apossa do que quer, sem remorso e sem culpa. Drake Donovan é um magnata do entretenimento e um dos milionários mais cobiçados do mundo. Ele e seus “irmãos” ergueram um império em Nova York, e o seu maior empreendimento é a badaladíssima Impulse, a casa noturna mais exclusiva da cidade. Acostumado a ter todos na palma da mão, Drake sente seu inabalável mundo balançar quando vê uma jovem com ar angelical e inocente perdida em sua boate. Quem era aquela garota? Ele não tem ideia, mas de uma coisa tem certeza: ela será dele! Ela não sabe se é capaz de dar o que ele deseja. Incentivada pelas amigas, ir sozinha à Impulse parece o plano perfeito para Evangeline se vingar do ex-namorado canalha. Uma proposta… Uma tentadora oportunidade de ter tudo aquilo que nem em sonhos ela imaginaria possível. O preço? Submissão total e completa - Maya BANKS - Editora GUTENBERG- 2018 - 321 páginas.

SUBMISSA, primeiro livro da série The Enforcers, publicada no Brasil pela editora Autêntica e escrita pela aclamada e conhecida autora Maya Banks. Confesso que, infelizmente, essa autora não conseguiu ser uma das minhas favoritas, meu segundo contato com seus livros e minha opinião sobre ela não melhorou nem um pouco.

A premissa do livro é simples: um homem rico, famoso, com poder nas mãos, manda em todos ao seu redor, é um dominador. Sendo assim, "precisa" de mulheres para serem suas submissas, mas como estamos em um livro, não preciso lhes dizer que uma dessas mulher irá virar seu mundo de cabeça para baixo, cairá em seus braços de repente, mudando tudo em um passe de mágica.

Sim, exatamente. Tudo que acontece neste livro ocorre em um simples passe de mágica, ou melhor, em palavras de comando ditas por Drake Donovan. A mocinha da relação, Evangeline, trabalha para ajudar sua família, que mora no interior. Seu pai sofreu um acidente e não consegue trabalhar, e sua mãe fica em casa cuidando dele. Recentemente, ela foi abandonada por seu ex-namorado, que simplesmente a usou e jogou fora.

Então, Evangeline decide aproveitar uma noite em uma casa noturna. Infelizmente, encontra seu ex-namorado, que a ameaça. Quando este começa a machucar seu braço, um segurança aparece, bate nele e leva Evangeline em segurança para o dono da boate, que simplesmente pediu que a levassem para seu escritório. Quando Drake colocou os olhos em nossa protagonista entrando em sua casa noturna, não a deixou em momento algum, e quando viu que ela estava em apuros com um homem a ameaçando, pediu que a levassem para ele e dessem um jeito no sujeito covarde.

A partir deste momento, este livro fica incrivelmente sem noção. Enquanto lia, fiquei de boca aberta com tudo o que acontecia, pois são coisas que simplesmente se tornam absurdas no meio de tantas outras coisas que acontecem com esses dois personagens. Principalmente com Evangeline, que não possui voz neste livro, ela simplesmente aceita como se fosse um robô e ele fosse seu chefe.

A autora exagerou em praticamente todas as ações dos personagens. Evangeline molda a sua vida do nada, para se encaixar com Drake, um homem que ela mal conversou, não passou a noite, não sabe nada sobre sua vida ou sobre seu passado, mas como ele a faz sentir bem, tem um bom sexo e a faz esquecer do seu ex, decidiu que morar com ele, resolve todos os seus problemas, literalmente.

Drake acha que tudo gira em torno dele, manda em seus homens, manda nas pessoas do seu trabalho e manda em Evangeline, sua nova mulher, que irá morar com ele, porque ele quer e ponto. Simples assim. Essa atitude que me deixou revoltadíssima. Tudo bem, li outros livros em que o cara quer ficar com a garota e ter um relacionamento com ela, mas depois de ficar com ela por menos de duas horas em uma noite e na outra noite ter uma conversa em menos tempo ainda e afirmar que ela morará em sua casa porque ele quer? Não tem cabimento.

A protagonista sorri e acena, como se tudo o que ele estivesse fazendo fosse o correto. Por quê? Porque ele é bonito, tem um bom sexo e é rico! Minha vontade era de esganar essa mulher em todos os momentos deste livro. Em uma cena, Evangeline defende Drake e um dos seguranças contra sua amiga que estava preocupada porque ela se mudou para a casa de um cara que ela conheceu na noite anterior, ela simplesmente jogou fora sua amizade de infância para ficar com Drake!

Um livro que possui pouco mais de 300 páginas, poderia ter uma premissa bem melhor do que este possui. Um homem arrogante, que se acha dono da razão. Uma mulher que sorri e acena como se fosse um cachorrinho e se sente culpada quando magoa "seu" homem, que abandona suas amigas sem piscar os olhos e aceita sua nova família e amigos como se ela os conhecessem há anos.

SUBMISSA, uma decepção literária que poderia ter um enredo totalmente diferente. No início, pensei que finalmente teria um livro que não fosse conseguir largar, mas a realidade foi totalmente diferente, tudo ficava pior a cada nova página e a cada novo capítulo. Quando pensava que tinha visto o suficiente de todos, a autora conseguia tornar tudo pior em um piscar de olhos.


Compartilhe este post:

Larissa Maciel

Sou louquinha, alegre, muito difícil me encontrar de mau humor, apenas quando passo a manhã sem comer nada, apenas desse modo, kkkkkk. Os livros são parte da minha vida há 5 anos, então já li bastante, mas como sabem, ler nunca é demais e sempre acrescento mais leituras. Sou estudante de Recursos Humanos, contudo o sonho é cursar Jornalismo e sou resenhista em alguns blogs. Prazer, Lari.

13 COMENTÁRIOS

  1. Mais do mesmo não é Larissa?
    A velha fórmula do homem dominador mais mocinha frágil que já vimos tanto no mundo literário.
    Infelizmente não despertou a vontade de ler.

    ResponderExcluir
  2. Oi Larissa,
    Ah, mas é exatamente isso que vem sendo escrito em livros hots, sinto que é uma cópia mal feita de cinquenta tons, e sério, não entendo esse machismo todo que as autoras conseguem criar, como você eu tenho vontade de entrar no livro e bater nas protagonistas... É realmente uma pena, mas cansei do gênero por conta disso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. ANNYEONG, Eu já tinha tinha visto a resenha desse livro em um ig mas não fiquei interessada em ler, deve ser pela capa ou pelo enredo da história toda que é muito cliché e cansativo. Adoreeeei a foto. Bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi, Larissa.

    A forma como eles acabaram se conhecendo, não foi um pouco nada convencional... Com toda essa reivindicação exagerada.

    Há um tempo, eu comecei a ler esse livro, mas deixei ele de lado. Achei ele bem fraco, pelo pouco que eu li...

    ResponderExcluir
  5. Infelizmente depois de Cinquenta Tons, os livros hot caíram demais. Nem é tudo igual, mas tudo totalmente fora da casinha. Não há mais enredo, cenários, química. Não há mais nada. Muitos autores e autoras apenas tem escrito e nada além disso.
    Ainda não conhecia este livro, mas já nem quero conhecer e olha que amava muito o gênero!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Não. Esse tipo de livro me enjoou exatamente pelas coisas que já vi falando desse agora: coisa sem noção, personagem feminina sem voz, mais coisa sem noção....
    Ahh gente, não tenho paciência. Só de ver já dá um desanimo enorme em pensar em ler algo assim. Tem muita coisa do gênero que consegue ser boa, mas meu grande medo em pegar livro assim é a falta de história, coerência e só personagem ruim. Não teria paciência pra ler esse =/

    ResponderExcluir
  7. Oi Larissa!
    Eu gosto mto de livros do gênero, mas confesso que ando um pouco desanimada, td mto repetitivo demais, mta imitação...Mas até que os livros que andei lendo em agradaram de uma certa forma...
    Este eu só tinha ouvido flar, gostei de ler sua opinião sobre ele, vou add na listinha e torcer pra curtir qdo conseguir ler...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Eu geralmente torço o nariz para livros deste gênero, não costumo lê-los por parecerem iguais e até mesmo previsíveis :'')

    ResponderExcluir
  9. Oi Larissa, quando li a sinopse achava que seria um livro clichê mas não ruim desse jeito. Eu fiquei com raiva agora só de ler como a personagem se comportava, aceitando tudo que o protagonista masculino falava e fazia, sem questionar nem parar pra pensar nisso. Realmente não seria uma leitura que eu gostaria de fazer, gosto de personagens fortes,uma decepção mesmo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Oi Larissa.
    Por isso não leio livros hots. É sempre o mais do mesmo: um cara rico, lindo, que todas babam e dominador; e uma garota frágil, submissa, que fará tudo que ele mandar, sem questionar ou achar que é algo sensato. É muito absurdo.
    Acredito que não iria gostar nem um pouco dessa leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Parece ser uma história clichê, ainda não tinha ouvido falar deste livro, nai e muito do meu interesse mas quem sabe ne

    ResponderExcluir
  12. kkkkkkkk Gostei da sua opinião em relação ao livro. Infelizmente tem livros que a propaganda é tanta, mas a decepção é maior ainda. Isso acaba com a gente. Nem sei se vou ler esse livro.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Larissa!!
    Gostei muito da resenha, nossa que decepção com um dos livros da Maya Banks!! Quero passar longe dessa série The Enforcers!!
    Bjoss

    ResponderExcluir