UM LUGAR SILENCIOSO

SINOPSE: Em uma fazenda dos Estados Unidos, uma família do meio-oeste é perseguida por uma entidade fantasmagórica assustadora. Para se protegerem, eles devem permanecer em silêncio absoluto, a qualquer custo, pois o perigo é ativado pela percepção do som.
DIREÇÃO: John KRASINSKI
DISTRIBUIÇÃO: Paramount Pictures
DURAÇÃO: 1H30
ELENCO: John KRASINSKI, Emily BLUNT, Millicent SIMMONDS e Noah JUPE

Consegue imaginar você grávida, tendo que fazer o parto em modo normal sozinha e sem fazer nenhum barulho? E ainda fazer o bebê recém-nascido não dar nenhum pio se quiser sobreviver? Um completo pesadelo, praticamente impossível, certo? Esse é um pedacinho de UM LUGAR SILENCIOSO, um dos filmes mais incríveis dos últimos anos.

O longa acompanha uma família que precisa sobreviver a todo o custo num mundo invadido por estranhas criaturas, que te matam se você fizer qualquer barulho. Elas não têm visão, não tem olfato, sua audição extremamente ampliada e sua rapidez matam qualquer um instantaneamente se algum som for emitido. A mãe está gravida e a família é cheia de crianças, algo que, por si só, já é uma ameaça, pelo fato de os pequenos terem menos noção dos perigos. Eles tiveram uma grande perda, que ainda dói em todos, e lutam para sobreviver a cada novo dia que amanhece. Com uma vida totalmente adaptada ao silêncio e à comunicação com linguagem de sinais, os dias vão passando, enquanto o chefe da família, o pai, tenta a todo custo estudar as criaturas e achar alguma fraqueza nesses seres quase indestrutíveis.

Olha que legal: John Krasinski, aqui, assume a função de diretor, roteirista, protagonista e marido da atriz principal, Emily Blunt, tanto na vida real, como no filme. O projeto pode ser comparado, incialmente, com o filme CORRA!, um diretor estreante, uma ideia incrível e o resultado foi um filme grandioso e premiado. Igualmente, UM LUGAR SILENCIOSO tem uma trama extremamente interessante, nova, e o melhor disso tudo, é que ela foi trabalhada com perfeição. O filme não tenta explicar de onde são essas criaturas, ou o que querem, são apenas assassinos com uma habilidade que, aparentemente, dizimou toda a população. Então, não temos diálogos expositivos ou narrações que deduzem que o espectador é burro. As informações, de fato, são poucas, mas elas são distribuídas calmamente durante o filme, com o propósito de aumentar ainda mais a tensão.

O objetivo aqui é a total imersão do espectador nesse universo, são várias as sequências onde somos apresentados a esse mundo adaptado ao silêncio. Acompanhamos as dificuldades de fazer coisas que, para nós, é trivial, como andar ou cozinhar. E tudo, absolutamente tudo, no roteiro tem um propósito e uma utilidade, desde um objeto, até uma deficiência. Agora, se para pessoas normais seria difícil viver nessas condições, imagina para uma menina surda? Uma das filhas do casal tem essa deficiência e as coisas são sempre mais difíceis para a coitada, já que ela não tem a noção do barulho involuntário que emite ao andar ou comer. Aliás, a atriz Milicent Simmonds é surda na vida real e injeta uma dose poderosa de realidade na sua personagem, a jovem tem um talento próprio e suas ações tem uma importância enorme para a trama.

A tal moça grávida, vivida pela atriz Emily Blunt, é sem dúvidas uma das personagens que mais sofreram na história do cinema. Além de ter que fazer um parto nas condições que citei acima, tudo na vida da moça começa a dar errado do nada. Tem momentos onde chega a ser desesperadora sua condição. Se pudesse, eu mesmo entraria no filme e a ajudaria. Isso tudo, somado a um desempenho poderosíssimo, já eternizam Emily com uma das melhores atuações de sua carreira. Novamente, o protagonista, John Krasinski, dá vida a um homem que não se cansa de facilitar a vida de sua família. Emite um cansaço na alma e um desejo ardente de manter todos a salvo, incrível desempenho do início ao fim. Fora, é claro, ter uma química apaixonante com a protagonista, sua esposa.

E o que dizer sobre o desfecho? Apenas um dos melhores de todos os tempos. Os personagens estão perdidos, mas não desistem e, na última hora, todas as peças se encaixam. E a tela de créditos sobe na hora exata, levando o público ao êxtase instantâneo. Impossível não se empolgar com esse final. A produção de baixo orçamento já é um sucesso e tem a segunda maior abertura nas bilheterias de 2018, até agora. Foram 50 milhões de dólares em apenas 3 dias, tudo com um orçamento de 17 milhões, incrível né? É um daqueles filmes que aparecem do nada e arrastam o espectador para seu universo, corra para o cinema e não se esqueça de fazer silencio.



Compartilhe este post:

Rafael Yagami

Cinéfilo compulsivo, amante de livros e musica. A leitura e os filmes sempre me ensinaram a confiar em mim e ter sonhos grandes e é com isso que me armo todos os dias para lutar pelos meus objetivos.

6 COMENTÁRIOS

  1. Sinistro!
    Gostei.
    Adoro o casal John e Emily.
    Com certeza vou assistir

    ResponderExcluir
  2. Estou maluca para ver este filme! Aliás, desde seu recente lançamento, só tenho lido coisas positivas a respeito dele, pois traz de uma forma inusitada, algo muito diferente do que se vê em filmes do gênero, onde o comum é aquele bando de mulher histérica aos gritos(tem hora que dá vontade entrar na tela e dar com a mão na cara da infeliz)
    Espero poder conferir o filme em breve e gostar tanto quanto você gostou!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Tinha visto mais ou menos esse trailer, não prestei muita atenção e nem vi tudo, mas caramba nesse filme. Bem louco. E que medonho! Já imaginou não poder fazer nenhum barulho? Isso é impossível! E nossa, a situação da mulher estando grávida então deve ser de dar agonia porque como você faz um bebê ser silencioso? E crianças? Gente...deu vontade de ver esse filme agora só pra descobrir como esse povo se virou. Muito doida essa ideia.

    ResponderExcluir
  4. Crítica maravilhosa, descrevi tudo w senti e vi no filme. Filme que me conquistou fiquei apaixonada.

    ResponderExcluir
  5. Oii Rafael!!!
    Agora que li seu post vou ficar ainda mais ansiosa pra ver o filme, vou tentar ir esse fds conferir e espero curtir mto!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Rafael!
    Fico feliz em ver que o filme é um daqueles tremendos thrillers que nos deixam tensos na cadeira, embora tenha algumas cenas quase impossíveis de que possa acreditar que aconteçam.
    “A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir