A ÚLTIMA DAMA

SINOPSE: Musa celebrada por poetas. Dama de confiança da rainha. Adúltera. Inimiga do Estado. Quem é a verdadeira Penelope? Penelope Devereux é a beleza lendária da corte da Elizabeth I e a inspiração de Philip Sidney para os sonetos de Astrophil e Stella. Mas a aparência não é sua única virtude. Sua sagacidade fez dela a favorita da rainha, e, com seu caráter ardiloso e dissimulado, tornou-se uma forte oponente a qualquer um que ficasse em seu caminho - incluindo o próprio marido. Enquanto isso, Robert Cecil, considerado os olhos e ouvidos de Elizabeth, vigia Penelope e seu irmão, o conde de Essex. Utilizando toda a sua perspicácia e malícia, a bela dama precisa salvar seu irmão das acusações de Cecil, ao mesmo tempo que ousa conspirar com seu amante em um cenário que pode terminar com sua cabeça rolando - Elizabeth FREMANTLE - Editora: PARALELA - 2018 - 384 páginas.

A ÚLTIMA DAMA é o terceiro livro da trilogia Tudor, publicado pelo Grupo Companhia das Letras, pelo selo Paralela. Nesse livro, iremos conhecer a história de Penelope Dereveux, uma mulher forte que desafia todas as regras da sociedade em prol de sua família. 

Penelope é uma jovem, de 18 anos, que vem de uma família nobre, porém marcada. Sua mãe, Littice Knollys, foi uma das mulheres que desafiou a Rainha Elizabeth I e acabou sendo exilada da corte: seu maior pecado foi se casar com o favorito da rainha. Agora que Penelope está na corte e caiu nas graças da Rainha, terá que aprender a navegar pelos mares das intrigas e traições e terá que usar toda sua inteligência e perspicácia para conseguir boas alianças e sair vivas delas. 

Mas, apesar de Penelope ter caído nas graças da rainha, quem realmente ganhou destaque perante a mesma, foi seu irmão Robert Dereveux, o conde de Essex. Todavia, Robert tem um inimigo que fará de tudo para ver a sua destruição, e esse homem é Robert Cecil, considerado os olhos e ouvidos da rainha e que, de maneira clandestina, vigia todos os seus passos em busca de um erro que o fará, enfim, ter a sua vingança. 

A ÚLTIMA DAMA é um livro que relata os últimos anos do reinado da Elizabeth I. Com uma riqueza de detalhes históricos e uma incrível personagem feminina, que fará de tudo para manter sua família a salvo, em um cenário que tem tudo para ser um desastre. 

Penelope é uma mulher dona de uma beleza sem igual, que foi aclamada pelos sonetos de Philip Sidney - Astrophil e Stella -, mas que ganhou destaque pela sua inteligência política e pela lealdade que tem para com seu irmão. Ela é uma mulher decidida, que resolve seguir sua vida em seus próprios termos, com um casamento de fachada e com um relacionamento amoroso de longo prazo com um amante - com quem teve vários filhos. Penelope mostra que, às vezes, tudo é uma questão de escolha. No entanto, como a autora mesmo relatou em uma nota, Penelope foi uma figura de grande importância na história de vida do Conde de Essex, ao ponto de ter sido perdoada por diversos erros, inclusive sua traição conta a coroa. 

Essa foi uma obra que me surpreendeu bastante, eu confesso, estava com baixas expectativas. No entanto, o livro foi diferente de tudo o que eu imaginava. Fui surpreendida pelos eventos históricos que esta obra traz, pois, apesar de ser um livro de ficção, foi baseado em fatos reais, e a autora tentou ser o mais fiel possível à história. Eu já conhecia um pouco da trajetória da vida do Conde de Essex, mas de sua irmã nunca tinha ouvido falar. E fico muito feliz, pois fui arrebatada por ela, que fez o possível e o impossível para proteger os que amava, e que cresceu muito no meu conceito, pela sua garra e coragem. 

A narrativa é feita em terceira pessoa, pelo ponto de vista da Penelope e do Cecil, o que para mim foi uma grande surpresa, pois não é sempre que um homem, considerado o vilão de um livro, tem a oportunidade de contar os fatos pelos seu ponto de vista. A diagramação está bem simples, folhas amarelas e letras confortáveis. Encontrei alguns erros no decorrer da leitura, mas nada que interferisse no desenrolar da história.

Um ponto que foi um pouco que incômodo para mim, foi assimilar os personagens e a linha temporal em que o livro estava sendo narrado. Isso aconteceu, pois a narrativa é feita em decorrência de vários anos, no entanto, quando eu consegui me situar e assimilar quem era quem, tudo fluiu muito bem. No contexto geral, essa foi uma obra incrível, com uma personagem feminina forte e uma história arrebatadora de tirar o fôlego.


Compartilhe este post:

Marlene Conceição

Meu nome é Marlene, moro em São Paulo, sou apaixonado por livros, leio conforme meu humor, não tenho um gênero literário definido, gosto de tudo um pouco, irei cursar faculdade de Medicina, amo séries e filmes.

13 COMENTÁRIOS

  1. Marlene!
    Parece um bom romance histórico, trazendo fatos sobre os últimos anos do reinado da Elizabeth I.
    Mesmo com suas ressalvas, gostaria de poder ler.
    “Eu gosto de escutar. Eu aprendi muito escutando cuidadosamente. A maioria das pessoas nunca escuta. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Gostei bastante do fato da autora ter dado voz ao personagem considerado vilão, isso é realmente raro. Embora tenha dificuldade com livros que oscilam na linha temporal, este está na lista daqueles que com certeza eu leria.

    ResponderExcluir
  3. Como fã de romance de Época e romances históricos a trama do livro me chama muito a atenção e também por citar minha amada Elizabeth por quem tenho um fascínio muito grande.
    Com certeza irá para a lista de desejados

    ResponderExcluir
  4. Oi, Marlene.

    Realmente, a Penelope mostrou a que veio, né? Apesar do seu caráter, talvez duvidoso, mostrou toda a sua capacidade como rainha.

    ResponderExcluir
  5. Penelope me lembrou muito Cersei Lannister de Got.rs Talvez pela fidelidade ao irmão(claro que sem a parte do incesto e tals). Mas talvez pela força, garra e determinação.
    Adoro livros que trazem este fundo histórico em seu enredo, pois a gente acaba passando tão batido nesta fase da escola que se deixa tudo de lado.
    Como não conhecia o livro, claro que vai para a lista de desejados.
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Marlene que capa mais linda, adorei!
    Eu li resenhas dos outros livos e sobre este é a primeira, parece ter um enredo lindo e envolvente, gostei de cara, ainda mais pq amo esse gênero, vai para os desejados com toda ctz.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Hummm, bem interessante esse livro. Gosto quando um autor brinca com fatos reais e históricos assim e o reinado dessa rainha é tão famoso, ver alguma coisinha a mais pra quem estava de fora, outras pessoas e as impressões pode ser bem legal. A Penelope parece uma personagem forte, que passa por muito e tem atitudes que acho que iria gostar de ver. Chamar atenção isso chamou. Gosto de uns livros assim.

    ResponderExcluir
  8. Olá, livros de época com personagens femininas atípicas aos seus estereótipos já estão se tornando mais do mesmo, contudo aqui o leitor encontra uma trama consistente e que não peca em retratar minuciosamente os cenários e todo o contexto monárquico pelo qual a história toma forma. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Estou de olho nessa trilogia há um tempo, amo esse tipo de leitura. Um mundo repleto de intrigas, traição e “pokerface”. Penelope apesar da pouca idade mostrou ser bastante GirlPower e já ganhou minha torcida.

    ResponderExcluir
  10. Dever uma delicia de trilogia. E que ainda está na minha meta. Conhecer os detalhes de uma mulher tão inteligente e com garra pra enfrentar tudo ao seu redor por conta de cuidar da família dela deve ser muito bom, uma leitura que cada pagina lida é uma emoção diferente.

    ResponderExcluir
  11. Primeiramente, eu amei essa capa!
    Eu ainda não tinha ouvido falar dessa trilogia, parece ser um bom romance de época, que aliás é um de meus gêneros favoritos. Penelope parece ser um exemplo de mulher forte...

    ResponderExcluir
  12. Oi, Marlene!!
    Ainda não li nenhum dos livros da trilogia Tudor, mas achei bem interessante a história desse livro e fiquei bem interessada nesses livros.
    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Oi Marlene,
    Não li nenhum livro da trilogia Tudor, mas tenho um preconceito com esses romances de época, assumo. No geral eu acho todos muito chatos e piegas, mas pelo que você disse na sinopse parece que esse é diferente, fiquei até interessada em ler, ainda mais pelo fato de ser baseado em fatos reais e a protagonista feminina parecer ser tao fod*. Também ja tinha ouvido falar do conde Essex mas nada mesmo sobre essa irmã dele haha, fiquei curiosa, quem sabe eu leio um dia desses?
    Bjão.

    ResponderExcluir