BUFFY A CAÇA-VAMPIROS

SINOPSE: Buffy Anne Summers descobriu, quando ainda era uma adolescente, que não era uma menina comum. Buffy é uma das escolhidas para lutar contra o mal, forte e corajosa que tem um destino a cumprir: proteger o mundo de monstros. Assim, depois de ser treinada por seu Guardião, Giles, ela vai alternar sua vida entre matar vampiros e demônios e curtir sua vida em Sunnydale, uma cidade que abriga a Boca do Inferno, de onde saem os piores seres possíveis. Buffy conta ainda com a ajuda de seus amigos Xander e Willow.
TEMPORADAS: 7
GÊNERO: Terror/Suspense
ANO DE LANÇAMENTO: 1997

Eu tinha uns sete anos de idade quando BUFFY: A CAÇA-VAMPIROS começou a passar na televisão. Não perguntem em qual canal, porque não lembro. Hoje, todos os episódios podem ser encontrados na Netflix, felizmente. Criada por Joss Whedon, quando ele não era tão famoso, a série é baseada em um filme de 1992 com o mesmo nome e que também era de Whedon. Mas o roteiro original foi modificado pelo diretor, Fran Rubel Kuzui (não tenho ideia de quem é), a contragosto de Whedon, e transformado em uma comédia. Insatisfeito, cinco anos mais tarde, Whedon conseguiu levar Buffy, desta vez feita da forma correta, às televisões. Com sete temporadas no total, e um spin-off, Buffy foi um sucesso e tornou-se referência para muitas outras séries que vieram, como SUPERNATURAL, por exemplo.

Buffy Summers é uma garota do colegial que descobre pertencer a uma geração de caçadoras de vampiros e de outros monstros. Ela possui agilidade e força além do padrão humano, poder que já nasceu com ela, e é treinada por Giles, um bibliotecário do colégio, que na verdade é o Guardião, um tipo de tutor que todas as caçadoras possuem.

Como amigos e colegas de sala de aula, Buffy tem os inseparáveis Xander e Willow, que mais tarde na série, transforma-se em uma bruxa poderosa. Tem também Cordelia, a megera da turma, mas que acaba sendo arrastada para todas as confusões que aparecem e, com o tempo, torna-se uma personagem essencial, principalmente no spin-off de Angel.

Angel é o cara mais velho por quem Buffy se apaixona, mas existe o problema dele ser um vampiro amaldiçoado. Angel possui uma alma, por isso ele é bom, e vira o braço direito de Buffy nos combates contra vampiros e monstros. Apesar de Angel ser um vampiro, esse não é o maior obstáculo no romance com Buffy. A maldição que paira sobre Angel, diz que se ele tiver um momento de pura felicidade, perderia sua alma e se tornaria tão cruel como a maioria dos vampiros. Existe um paralelo entre o amor de Buffy e Angel, que seria uma alegoria para as jovens estudantes que se entregam a um amor, fazem sexo e depois descobrem que o garoto virou um monstro. O que realmente acontece na segunda temporada, quando Buffy e Angel se entregam ao que estão sentindo um pelo outro e ele perde a alma por causa da maldição.

Os melhores episódios e os mais tensos são justamente esses, quando Buffy, Giles, Xander, Willow e Cordelia preciam lutar contra um Angel sem alma. Eles não querem matá-lo, porque eles têm esperanças de conseguirem restituir a alma perdida, mas Angel não dá tréguas e cria uma guerra imensa contra a turma. O final da segunda temporada foi um dos mais cruéis existentes em séries.

Angel obteve tanto sucesso como personagem, que ganhou uma série própria que durou cinco temporadas e onde Buffy aparecia de vez em quando. Também com episódios tensos, passados em uma Los Angeles à beira da destruição, teve episódios memoráveis e um final que foi concluído nas páginas dos quadrinhos.

Para a época, as lutas de Buffy eram bem coreografadas e as maquiagens dos monstros eram razoáveis para uma série. A primeira temporada só teve doze episódios, porque que, com o fracasso do filme cinco anos antes, não existia muita fé de que a série daria certo. Deu, e muito. Nas temporadas seguintes, a média subiu para mais de vinte episódios por temporada.

O grande trunfo de Buffy, residia na química e na união dos personagens principais e nos perigos e vilões que apareciam. Quando a série terminou, e logo depois dela, Angel, lembro que senti um grande vazio, não existia mais nada daquele gênero. Só alguns anos depois, quando começou SUPERNATURAL, que esse vazio foi um pouco preenchido. Ainda sinto saudades de acompanhar a turminha enfrentando monstros em um colégio onde acontecia de tudo. Era muito bom. Saudades!


Compartilhe este post:

Carl

Tenho várias paixões: livros, gibis (muitos gibis), filmes, séries e jogos (muitos jogos de PC e consoles), fotografia, natação, praia e qualquer chance de viajar para conhecer novos lugares e pessoas. Lamento o dia ter apenas 24 horas - é muito pouco ;>) -, e não saber desenhar O.O

6 COMENTÁRIOS

  1. Sessão nostalgia!rs
    Em meio a tantas novidades modernas, tão gostoso pegar um post assim e poder reviver na mente, algo que fez parte da vida da maioria de nós.
    A época boa onde vampiros eram vampiros mesmo(nada de brilho, pelamor),mas também onde havia até inocência em meio ao mal.
    Que a nova geração descubra essa parte da nossa história!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Carl!!
    Meu Deus eu me lembro dessa série, assisti td sem perder nd.. eu amava!!
    Deu até vontade de assistir novamente!
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  3. Eu via essa série também quando era criança, mas não seguia muito. Interessante saber um pouquinho mais dos conflitos dela, na minha ideia era uma garota caçando vampiro e só, nem sabia de romance. Já chamou muito mais atenção isso com o cara e a maldição dele, deu vontade de saber o que aconteceu afinal de contas. Mas nossa, não sei se animo pra pegar e ver tudo. É muita coisa e esse tema já meio que deu pra mim =/
    De qualquer forma é bem interessante relembrar um pouquinho dos tempos que vi essa série. Pra quem lembra deve ser muito legal, até poder assistir tudo agora é muito bom, sem ficar preso a programação de tv e podendo curtir bem a série. É uma dica boa.

    ResponderExcluir
  4. Não acredito que demorei tanto pra acompanhar a série completa!

    Lembro que eu via episódios aleatórios na infância.

    Como é bom acompanhar algo que fez parte da minha infância e melhor ainda é gostar.

    ResponderExcluir
  5. Oi Carl!
    Eu adorava Buffy quando tinha os meus 15-16 anos, mas acredita que não cheguei a terminar de ver a série? Agora bateu saudade.
    Beijos,
    Alem da Contracapa

    ResponderExcluir