SUBMERSO

SINOPSE: Aos dezessete anos, Dimitri não é mais capaz de enxergar a si mesmo quando encara o próprio reflexo no espelho. DIvidindo seu tempo entre o colégio e um emprego na última locadora de filmes da cidade, ele vê sua realidade colidir quando um simples encontro com os amigos acaba sendo gatilho para uma de suas maiores crises - Eduardo CILTO - Editora OUTRO PLANETA - 2018 - 192 páginas.

Dimitri é um jovem quebrado. Acabou de passar por dois grandes traumas e está rodeado por amigos tóxicos, que só disparam o gatilho para encrencas. Sem mais a quem recorrer, seu pai o interna em um acampamento de reabilitação para jovens problemáticos. Lá, ele faz amizades inesperadas, descobre e desenvolve sentimentos que não conhecia e acaba se vendo no meio de um mistério envolvendo sabotagem no acampamento.

O livro tem dois grandes problemas: o primeiro, é a trama. Mesmo depois da leitura encerrada, é difícil entender o real propósito de tudo pelo quê o protagonista passou. Ele é um jovem deprimido, tem problemas com álcool, é sozinho e teve perdas recentes. Então, provavelmente, nesse acampamento ele vai trabalhar esses traumas para poder voltar à sociedade, correto? Errado! Em quase nenhum momento o texto mostra sinais de que deseja a reabilitação do rapaz, o sentimento que fica, é que a tristeza e a depressão estão sendo gourmetizados. Para quem não conhece essa palavra, refere-se a transformar uma coisa simples ou ruim em algo incrível ou luxuoso. O acampamento não tem desenvolvimento, o personagem não passa por dinâmicas, terapias ou qualquer outra coisa que visa sua melhora. O que o livro traz é aulas de matemática, uma natação de vez em quando e ficar batendo pernas por aí, onde que alguém melhora num lugar desses?

A desculpa da trama para a estrutura desse acampamento é basicamente se desligar do mundo real e viver uma experiência no campo. Mas o jovem não participa de nada ligado à natureza, o acampamento é tachado como seguro e super-controlador, mas qualquer um faz o que quer e nada tem consequencias. O melhor exemplo que posso dar, é a série PEQUENAS GRANDES MENTIRAS: na trama, uma das mulheres sofre violência doméstica e ela tenta se desligar da sua rotina, tentando cair de cabeça numa plenitude, saindo com suas amigas e participando ativamente da vida social da sua cidade. Quando ela vê que nada disso dá resultados, ela procura uma psicóloga e lá, mesmo ela não querendo no início, todos os seus traumas são postos em cheque. E aqui, em SUBMERSO, nada é trabalhado, os traumas do protagonista estão ali, mas ninguém o ajuda e ninguém o faz refletir o porquê ele chegou a esse nível de tristeza. Ao contrário, é imposto para ele medicações e, mesmo assim, ele trata sua depressão como um animal de estimação: ou ela morre, e eu arrumo outra tristeza; ou eu fico com ela até eu mesmo morrer.

O segundo problema do livro é sua escrita. O autor parece mais preocupado em escrever um livro bonito e descolado do que um livro de qualidade. Os diálogos são sempre alternados com frases de efeito ou poéticas, tiradas daquele site “o pensador”. Além de brega, soa extremamente artificial, estando no livro só porque é bonito e não porque é bom. “É no caos que minha mente se acalma”, “meu sangue ferve ao movimento da lua”, “meus olhos são represas prestes a explodir”, são alguns exemplos exagerados do que podemos encontrar nas páginas deste livro. E para tudo ficar mais “topzeira”, legal e descolado, a trama é cheia de letras de músicas famosas, a maioria hits que iniciam cada capítulo. Às vezes, nem combinam com a passagem da leitura e estão alí, mais uma vez, para afirmar como é legal ser triste e deprimido.

E isso caminha por quase todo o livro, tristeza descolada top e frases de efeitos. Os personagens secundários são belos enfeites. Um avô rico, um pai orgulhoso, uma amiga drogada e etc. Quase ninguém é desenvolvido, e se fosse, não faria diferença nenhuma na trama, que já começou errada lá no inicio. E o pior, o pior de tudo isso é o final. Nos últimos capítulos, somos apresentados a um mistério, temos que resolvê-lo e, rapidamente, entramos para o "FBI" e partimos para as pistas. Tudo se resume a uma trama que parece inserida às pressas e mais clichê impossível, chega a dar vergonha alheia. 

Mas e a depressão do rapaz? Ele consegue melhorar e entra para o "FBI" e vira um detetive? Não, a solução que a trama nós dá é um relacionamento! Então fica a dica: se você estiver triste, arrume um namorado (a) que tudo vai ficar bem.

Depressão é algo muito sério, e lidar com traumas é complicado. A vida passa longe da trama fantasiosa que SUBMERSO entrega. A impressão que fica, é que ninguém foi sincero com o autor. Sério que alguém leu isso e não apresentou nenhum defeito? Sério que acharam esse texto saudável e palpável? Infelizmente, tudo se resume a um livro elitista e superficial, que mais tem cara de “fanfic” do que uma obra literária.

Não posso dar zero estrelas, então boto a menor quantidade que tem.


Compartilhe este post:

Rafael Yagami

Cinéfilo compulsivo, amante de livros e musica. A leitura e os filmes sempre me ensinaram a confiar em mim e ter sonhos grandes e é com isso que me armo todos os dias para lutar pelos meus objetivos.

17 COMENTÁRIOS

  1. Oi, Rafael.

    Diante de tais fatos e com temas tão profundos, elementos certos poderiam fazer desse, um livro tocante e emotivo, e com uma grande reflexão.

    Assuntos tão importantes não merecem ser tratados com descaso. É uma pena que o autor "pecou" e muito, nesse livro. Levando em conta a tua opinião, não sei se eu o leria.

    ResponderExcluir
  2. Não li o livro, mas sofro de depressão. Por isso creio poder ver as falhas pela sua resenha.
    Depressão é realmente algo muito sério, se não tivermos pessoas que nos ame e um profissional, é muito difícil nos livrarmos.
    Creio que o autor quis seguir a moda e glamourização, o que é tao feio que chega a ser aviltante para quem já passou por isso.
    Terapias, leituras, músicas, incentivos, conversas,ajuda muito,mas não é só isso. É preciso um bom profissional para detectar o gatilho.
    Acho que o autor NUNCA ficou deprimido na vida.

    ResponderExcluir
  3. Com essa premissa tão boa Submerso teria tudo para ser um grande livro. Infelizmente não é o que acontece.
    Será que é mais um caso de querer abordar um assunto sério e importante só para ser cult? Sem se preocupar em desenvolver ben o tema?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso infelizmente, aqueles livros cools vendidos por youtubers, porém sem nenhum conteúdo.

      Excluir
  4. Que coisa chata pegar um livro que tinha tudo para se ter um enredo bom, bem desenvolvido e ver que não tinha era nada disso.
    Ainda não tinha lido nada a respeito deste livro, somente visto a capa pelo mundo literário. Mas não adianta querer falar de um assunto tão delicado e denso como depressão e pegar uma história inteira e jogar literalmente no lixo.
    Desnecessário.
    Se já nem sabia do livro, vou continuar assim.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. "Reformulando" meu comentário...Apesar das falhas do autor e se tratar de um tema sério, creio que seja bacana conhecer a história.

    ResponderExcluir
  7. É uma pena que o autor não tenha aproveitado o espaço que teve. Realmente, depressão é algo sério, não entendo porquê ele escolheu falar sobre se claramente não tinha uma ideia formada. Confesso que estou um pouco decepcionada, não tenho certeza se leria.

    ResponderExcluir
  8. Pena que não tenha gostado e pelo jeito se for assim mesmo, a forma como lida com os problemas do garoto e não tem essa ajuda que talvez pudesse ter no tal acampamento é triste e complicado. Triste porque quando a gente vê um personagem com problemas assim quer ver uma ajuda, algo pra melhorar. E complicado porque é difícil lidar com esses assuntos de uma forma que não fique forçada ou clichê. Achei a ideia da trama interessante, mas parece ter faltado muita coisa pra ficar boa mesmo.

    ResponderExcluir
  9. Essa foi a resenha mais negativa que eu ja vi na vida e pior... Você está coberto de razão! Ja havia ouvido falar do livro, cheguei a assistir até o booktrailer criado pelo proprio autor que é um youtuber e já vi que não ia dar bom... O trailer é todo montado com imagens "tumblr" e gormetização da depressão, já fiquei desinteressada no livro a partir dali. Não entendo como uma coisa tão seria tenha se tornado uma coisa tão "cool", bonita e é claro: "tumblr" aos olhos de algumas pessoas. Essas frases vazias ridiculas e sem fundamento como: “meu sangue ferve ao movimento da lua” só servem pra enfatizar q a proposta do autor era acolher aquelas pessoas que acham muito bonito ter depressão e ser uma pessoa "complicada", aquela imagem do badboy cheio de problemas e traumas que deixa as garotas apaixonadas o que se comprova no fato de que a solução de todos os problemas do muleque é arranjar um nammorado(a). Fico indignada como esse tipo de merd* vem vendendo ultimamente, seja em filmes, livros ou series.
    Fica ai meu apoio e minha indignação.

    ResponderExcluir
  10. Rafael!
    Escrever um livro sobre um distúrbio psicológico sem embasar o enredo e sem trazer algum tipo de ajuda ao protagonista, fica difícil mesmo a leitura.
    Sem contar que uma escrita 'bonitinha' com frases de efeito, não vola.
    Uma pena!
    Maravilhoso final de semana!
    “Gosto de ouvir. Aprendi muita coisa por ouvir cuidadosamente. A maioria das pessoas nunca ouve. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  11. Olá, é triste saber que uma trama que tinha potencial para abordar a depressão de forma coerente seja tão mal construída. O autor realmente parece ser se precipitado na hora de compor a história, que exigia um certo cuidado para ser escrita. Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Eu ainda não conhecia o livro. O tema é bem interessante de se falar, teria tudo para ser uma grande obra, uma pena o autor ter tido tantas falhas ao escrever...

    ResponderExcluir
  13. Olá! Decepcionante saber que o livro foi publicado, apesar de tantas lacunas no enredo, o que prova que algumas editoras não têm muitos critérios. O tema é muito sério e merece realmente ser discutido, uma pena o autor não ter tido esse cuidado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, foi publicado só pq o autor é famosinho no youtube, pq o conteúdo com certeza não foi levado em consideração.

      Excluir
  14. Poxa Rafa, e pensar que daria um pouco certo para o livro se o autor planejasse mais sobre o que Dimitri poderia fazer para sair desse submerso da depressão a exemplo que vc disse da mulher de pequenas grandes mentiras. Creio que se ele tivesse feito isso o livro melhoraria bastante, e também algo que poderia mudar nas vidas das pessoas que ao ler a historia poderia tomar uma nova chance ou gerar uma reflexão. Uma pena que nada disso foi abordado.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Rafael!!
    Que triste que o livro não foi bem explorado!! E realmente um pena um livro com potencial acabar decepcionando tanto assim...
    Bjos

    ResponderExcluir