JURASSIC WORLD - REINO AMEAÇADO

SINOPSE: Três anos após o fechamento do Jurassic Park, um vulcão prestes a entrar em erupção põe em risco a vida na ilha Nublar. No local não há mais qualquer presença humana, com os dinossauros vivendo livremente. Diante da situação, é preciso tomar uma decisão: deve-se retornar à ilha para salvar os animais ou abandoná-los para uma nova extinção? Decidida a resgatá-los, Claire convoca Owen a retornar à ilha com ela.
DIREÇÃO: Juan Antonio BAYONA
DISTRIBUIÇÃO: Universal Pictures
DURAÇÃO: 2h08
ELENCO: Bryce Dallas HOWARD, Chris PRATT, Jeff GOLDBLUM, Daniella PINEDA, Justice SMITH, Toby JONES e James CROMWELL

Os dinossauros são, de longe, uma das coisas mais intrigantes para o homem. Os animais mais poderosos que pisaram na Terra já foram trabalhados com perfeição em JURASSIC PARK, do grande Steven Spielberg. Lançado em 1993, é quase unânime a sua perfeição. Agora, essas feras estão numa nova série de filmes. O primeiro capítulo saiu em 2015 e foi um estouro nas bilheterias, e agora, JURASSIC WORLD: REINO AMEAÇADO, veio tacar mais lenha na fogueira.

Depois do desastre que foi a abertura do novo parque dos dinossauros, a ilha com as feras foi desativada e deixada à própria sorte. Anos depois, o problema cresce quando um vulcão, anteriormente adormecido, começa a apresentar atividade e se encaminha para uma explosão que levará os dinossauros da ilha de volta à extinção. Nos Estados Unidos, o governo se recusa a salvar os animais, porém um rico idoso oferece seus recursos e dinheiro numa missão de resgate para salvar pelo menos algumas das feras e depois soltá-las em uma ilha particular, onde estarão a salvo da interferência humana. Logo Claire, a moça que corre das feras de salto alto, convoca Owen, o ex-adestrador, para ajudá-la nessa missão, que tem tudo para dar errado, mesmo sem ter começado.

O ser humano é uma merda, tudo em que o homem bota a mão, ele estraga ou leva para caminhos destrutíveis, e é isso que a trama afirma de maneira correta desde o começo. O roteiro tenta trabalhar de maneira capenga o debate: devemos deixar eles morrerem na ilha? Devemos fazer alguma coisa? Porém, as motivações são fracas para render um debate mais aprofundado, porque fica difícil querer que o governo seja firme agora, quando não fez nada na época em que abriram o primeiro parque (que terminou em merda), e, para piorar, deixou um segundo parque ser aberto no primeiro Jurassic World. 

O esqueleto do filme é simples: estou querendo salvar as feras, vou aceitar a proposta da primeira pessoa que me procurar, não vou me preocupar se esse pessoal está mentindo e logo eu me ferro. Mas trama nunca foi o forte dessa série de filmes e por mais que essa nova seja na base um requentado bonito dos filmes anteriores, ela não atrapalha muito a produção e isso é mérito da direção.

Juan Antonio Bayona, o mesmo diretor de SETE MINUTOS DEPOIS DA MEIA-NOITE, constrói um filme que faz jus a seu nome. Os dinossauros aqui são mais que apenas máquinas de matar, são protagonistas de sequências sensacionais e angustiantes. Destaque para a cena inicial que é sensacional. O ápice, com certeza, é a ilha explodindo, é lava pra todo lado, correria, gritaria e muita poeira. A trilha sonora, fotografia e efeitos visuais estão num nível altíssimo de beleza e imensidão. Tudo é tão grande, sujo e destruído, e no meio desse caos há uma elegância. Mesmo o plano de salvar as feras sendo um pouco imbecil, o caminho dessa jornada é tão legal e emocionante que fica difícil não se empolgar.

Os dinossauros roubam completamente a cena e o elenco foi quase todo ofuscado. Bryce Dallas Howard, a moça do salto alto, felizmente, aqui ganhou mais destaque e fez muito bom uso do seu tempo. A atriz se sai muito bem nas cenas de ação e, por incrível que pareça, faz esse roteiro fraquinho ser convincente. Dá pra sentir como tudo isso é importante para ela e, acima de tudo, sentimos os medos e as incertezas da persoangem. Chris Pratt, o astro de GUARDIÕES DA GALAXIA, infelizmente, deixou seu carisma lá na Marvel. Realmente, o personagem faz bastante coisa e praticamente pega os dinossauros no mano a mano, mas fora isso, não tem muito o que comentar. E o elenco que merece ser citado para por aqui mesmo. Em vez disso, vamos enaltecer a equipe de efeitos visuais, que sempre se supera. Especialistas no filmes para o povão, nunca decepcionam quando o assunto é criar feras horríveis e poderosas.

E o filme ainda conta com um plano maligno no final, uma revelação bizarra que promete ser melhor explorada na continuação e um desfecho justo, algo que era para ter acontecido há muito tempo. Agora, sim, a coisa vai pegar fogo, dessa vez a moça do salto alto vai precisar da ajuda dos Vingadores e da Liga da Justiça. No desfecho, não temos heróis e nem vilões, temos seres humanos que agem por cobiça e status. Todos têm uma parcela de culpa na desgraça atual e nas futuras que estão chegando com rapidez. Muito mais interessante que o filme anterior, uma experiência bonita, eletrizante e angustiante para as telonas, vale uma conferida.


Compartilhe este post:

Rafael Yagami

Cinéfilo compulsivo, amante de livros e musica. A leitura e os filmes sempre me ensinaram a confiar em mim e ter sonhos grandes e é com isso que me armo todos os dias para lutar pelos meus objetivos.

8 COMENTÁRIOS

  1. Rafael!
    Msmo com o enredo fraco, acredito que apenas as criaturas já eram motivo para assistir o filme, parecem tão reias, não é?
    Ando curiosa para assistir.
    Bom final de semana!
    “.Aquilo que eu não sei é a minha melhor parte! “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Estou ansiosa para assistir

    ResponderExcluir
  3. Agora eu pergunto: Por que só 4 estrelinhas?rs
    Dinossauros sempre foram realmente um ponto alto na nossa curiosidade e que maravilha o cinema saber disso e vira e mexe lançar algo assim, tão grandioso!
    Amo efeitos especiais, correria e parece que mais uma vez, o foco do filme é salvar as espécies e foi muito prazeroso ler que eles, os dinossauros, são os personagens principais do enredo.
    Com certeza, irei assistir!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Gostei muito daquele primeiro filme da franquia e é, sei lá se roteiro e a coisa toda é o mais extraordinário nisso, mas adoro. As cenas de ação e todo aquele cuidado com efeitos ficam bem legais de assistir. Bom ver que nesse segundo capricharam nisso. E pode ou não haver questões interessantes e que servem de discussão, mas pelo jeito que a trama parece estar acho que vou adorar. Um gancho pra coisas piores então só fica mais legal xD
    Tô doida pra assistir.

    ResponderExcluir
  5. Olá, não poderia concordar mais com sua critica, basicamente foram os mesmos comentários que fiz ao sair do cinema! Com acrescimo do efeito terror que senti na transfusão de sangue - no caso o terror por eliminar quaisquer razão lógica cientifica, como assim "pega o sangue da espécie X e aplica na Z pois são espécies da mesma "familia" é como dizer vamos fazer uma transfusão de sangue entre humanos e macacos Rezzo que vai dar certo!! GENTE NEM ENTRE HUMANO PARA HUMANO PODEMOS TRANSFERIR SANGUE SEM SABER SEU FATOR !!! cof cof feito esse desabafo encerro meu comentário kkk

    ResponderExcluir
  6. Oi Rafael!
    O filme pra mim funcionou bem, curti bastante, e pela ponta que ficou no final termos mais...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Fico feliz que tenha sido sincero na crítica mas a minha vontade de assistir esse filme ainda é imensa principalmente porque adoro filmes de dinossauros é um lado meu que é difícil explicar

    ResponderExcluir
  8. Esperei bem mais do filme. O anterior a este fez muito mais em termos de divertir e entreter com uma premissa bem mais simples. Este novo capítulo traz um tema mais amplo e complexo acerca dos dinossauros, sendo que jamais se proporia a discutir a sério tal questão.

    ResponderExcluir