ME CHAME PELO SEU NOME

SINOPSE: O sensível e único filho da família americana com ascendência italiana e francesa Perlman, Elio, está enfrentando outro verão preguiçoso na casa de seus pais na bela e lânguida paisagem italiana. Mas tudo muda quando Oliver, um acadêmico que veio ajudar a pesquisa de seu pai, chega.
DIREÇÃO: Luca Guadagnino
DISTRIBUIÇÃO: Sony Pictures
DURAÇÃO: 2H11
ELENCO: Timothée Chalamet, Armie Hammer, Michael Stuhlbarg, Amira Casar e Victoire Du Bois.

Os filmes de romance atualmente estão ficando saturados, as tramas são sempre as mesmas e seus desfechos extremamente melodramáticos. Felizmente, o cinema independente nunca decepciona e ME CHAME PELO SEU NOME veio para trazer um frescor ao gênero e encantar o espectador com uma infinidade de qualidades, vamos conferir!

Elio é um adolescente de 17 anos que está passando o verão na Itália com sua família. Seu pai, um importante pesquisador, tem o costume de convidar sempre um universitário para passar as férias com sua família, ajudando o estudante em seus respectivos projetos e recebendo ajuda do mesmo em suas pesquisas. O americano, Oliver, é cheio de energia e um carisma próprio, estudante dedicado e descolado, chega quebrando a rotina da família. Uma inimizade começa a florescer entre Elio e Oliver. Ao mesmo tempo em que vão se evitando, o interesse mútuo começa a surgir. Primeiro, uma conversa; depois, um fascínio; e de repente, um desejo amoroso é instalado em Elio e Oliver.

Pela sinopse, pode parecer mais uma trama clichê e saturada, mas a grande diferença aqui é como tudo isso é abordado. De fato, não é um filme para todos. Seu roteiro tem o interesse de estabelecer bem seus personagens antes de eles interagirem. Grande parte do filme é apenas para nos afeiçoarmos com Elio e Oliver, conhecendo seus desejos e analisando suas personalidades. O ritmo é lendo e a produção não tem interesse em criar uma trama mirabolante. O importante é o estudo do desejo, o nascimento de um afeto. A trama acompanha um relacionamento gay, mas é fácil se identificar com esse panorama, mesmo você não sendo um LGBT. Quando a afeição vem, você não consegue fazê-la sumir, o coração quer o que ele quer, e o filme se aprofunda nesse pensamento de forma tocante e inspiradora.

O amor está nas conversas e em quem a pessoa é de verdade. O romance entre Elio e Oliver não é composto apenas por desejo sexual, até porque antes de se conhecerem, nunca tinham sentido desejo por homens. O assunto aqui é aquele sentimento que chega sem você controlar ou planejar, somos apenas pessoas que querem ser amadas, e qual o problema com o amor? Para um deles é o primeiro amor; e para o outro, é um amor intenso. E os protagonistas se jogam nisso apenas para viver o momento, sem saberem se vai durar um dia ou uma vida. O ritmo da produção é lento e a direção transforma o norte da Itália em quase um personagem do filme. As locações, paisagens e vistas panorâmicas são deslumbrantes e combinam perfeitamente com a sutileza desse romance. A trilha sonora é um primor para os ouvidos, tem canções animadas, tem as lentas e as energéticas; e por incrível que pareça, todas conversam entre si. Em especial, a música “Mystery Of Love”, composta originalmente para o filme na voz do cantor Sufjan Stevens, é a melhor definição de perfeição. É basicamente uma balada reforçada com vocais lentos que imprime na sua letra toda a verdadeira proposta do filme “Bendito seja o mistério do amor”.

A perfeição continua no elenco, estrelando o jovem Timothée Chalamet como Elio, hipnotiza o espectador com seu desempenho maduro. Quase todo o filme é visto pelos seus olhos e nunca seu personagem se torna cansativo. São longos momentos apenas com um olhar ou uma mordida nos lábios, que são o suficiente para o público se encantar. Imprime muita personalidade e carisma para seu personagem, que é engrandecido com seu desempenho sem igual. Tal desempenho que rendeu uma indicação ao Oscar de melhor ator para Timothée. Na pele de Oliver, temos Armie Hammer em um desempenho misterioso e sexy. É difícil entender as motivações de seu personagem no início, e o olhar do ator só serve para desviar ainda mais a atenção do espectador. Logo seu desempenho se abre com uma flor: um misto de medo, desejo e alegria. Outro destaque do elenco vai para Michael Stuhlbarg, que é dono da melhor cena do filme. A sequência onde conversa com seu filho Elio é arrebatadora e extremamente reflexiva. Com certeza vai emocionar e nos fazer refletir se realmente aproveitamos a vida e as oportunidades que ela nos oferece.

É uma produção completa sem tirar nem por, foi merecidamente indicada ao Oscar nas categorias de melhor filme, ator, canção original e roteiro adaptado. Acabou levando por seu roteiro e que, por sinal, é um dos prêmios mais justos dos últimos tempos. É adaptado do livro com o mesmo nome (resenha, AQUI), e vale muito sua atenção. As qualidades são gritantes e o carinho maior ainda. Com certeza um filme que marcara historia no seu gênero.


Compartilhe este post:

Rafael Yagami

Cinéfilo compulsivo, amante de livros e musica. A leitura e os filmes sempre me ensinaram a confiar em mim e ter sonhos grandes e é com isso que me armo todos os dias para lutar pelos meus objetivos.

6 COMENTÁRIOS

  1. Rafael!
    Bom que ainda temos os filmes independentes para trazer um frescor aos romances.
    E aqui é um super romance, pena que ainda não assisti, mas bem quero.
    Não li o livro tão pouco.
    Que o domingo seja abençoado!
    “Nunca sei se quero descansar porque estou realmente cansada, ou se quero descansar para desistir. “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  2. Bem, quando vi este filme pela primeira vez, meio que torci o nariz..rs Sei lá, acho que depois de Azul é a Cor Mais Quente, tudo referente a romances assim, ficou meio que bobo, beirando o infantil.
    Mas agora estou lendo o livro e estou doida pelo romance. Não, não é uma história de amor comum, bobinha...é tudo perfeito!
    A construção do cenário, os personagens, o flerte.
    Estou amando cada página e assim que terminar,verei o filme novamente com outros olhos!
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Vi esse filme recentemente e amei. Achei até doido ver falando dele agora porque pretendo começar o livro hoje mesmo. Isso foi mais um sinal pra ler logo? xD
    É muito bonita a forma como o romance dos protagonistas evolui, toda a coisa do descobrimento, de ver o personagem se descobrindo e um sentimento bonito nascendo.
    Amei as partes dele com a garota, as cenas de amor e flerte dos dois rapazes...tem um jeito de experiências novas, coisas novas e se descobrir, e o ritmo da trama não fica aquela coisa clichê, é bonita e interessante a forma como a história é contada. As locações foram de encher os olhos e a trilha sonora também me agradou bastante. Pode não ser um filme pra qualquer um mas virou um dos meus favoritos.

    ResponderExcluir
  4. Olá Rafael!
    Ainda não conheço a história, gostaria mto de ter oportunidade de conhecer, qria ler o livro antes de ver o filme, espero conseguir antes que minha curiosidade me faça ver o filme rsrs.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Que filme maravilhoso, meu deus, 2 horas mais que bem aproveitadas. Trilha sonora maravilhosa. além desse filme ser uma obra de arte pela estética, ele também é um dos mais lindos que eu já assisti por ter conseguido fazer o amor virar imagens, cenas. terminei de assistir com o coração quentinho e feliz por viver num mundo que filmes assim existam, e isso vale um favorito.

    ResponderExcluir
  6. Eu adorei tanto filme conto livro a trilha sonora o romance e os personagens me cativaram do começo ao fim simplesmente incrível

    ResponderExcluir