A PARÁBOLA DO SEMEADOR

SINOPSE: Quando uma crise ambiental e econômica leva ao caos social, nem mesmo os bairros murados estão seguros. Em uma noite de fogo e morte, Lauren Olamina, a jovem filha de um pastor, perde sua família, seu lar e se aventura pelas terras americanas desprotegidas. Mas o que começa como uma fuga pela sobrevivência acaba levando a algo muito maior: uma visão estonteante do destino humano ... e ao nascimento de uma nova fé.
AUTORA: Octavia E. BUTLER
EDITORA: Morro Branco
PUBLICAÇÃO: 2018
PÁGINAS: 416
TRADUÇÃO: Carolina Caires COELHO

Octavia E. Butler tem sido muito bem comentada e ganhou reconhecimento no Brasil após a editora Morro Branco começar a publicar suas obras no país. A PARÁBOLA DO SEMEADOR é uma distopia que mostra uma sociedade onde o caos se instalou, e a falta de água e de comida faz com que as pessoas cometam as maiores atrocidades já imaginadas.

A primeira coisa que é preciso dizer sobre esse livro é que ele é forte em todos os sentidos. Ele é forte, pois nos mostra um futuro possível e nos faz refletir sobre a natureza humana e sobre o que temos feito com a Terra. Mas ele também é forte por nos mostrar o pior lado da humanidade, o lado desesperado, faminto e instintivo.

Há passagens no livro que são realmente difíceis. Cenas de assassinatos, violência extrema, inclusive contra crianças e bebês, estupro e as mais variadas formas de crueldade. E o pior é saber que tudo isso é perfeitamente possível, que pessoas desesperadas agem de formas animalescas.

A leitura desse livro é extremamente tensa e dolorosa. Apesar de a história em si não ter muitas surpresas e reviravoltas, sabemos que nesse cenário tudo pode acontecer. E isso faz com que o leitor se sinta sempre à beira de um abismo, aguardando o pior.

Nossa protagonista, Lauren, narra seus dias por meio de anotações em um diário. E o livro é esse diário. Acompanhamos todos os seus pensamentos, sentimentos e inseguranças. E, claro, acompanhamos o surgimento e a evolução da Semente da Terra, a religião que Lauren funda, baseada na ideia central de que Deus é mudança.

A PARÁBOLA DO SEMEADOR é o que chamamos de romance de formação, pois ele acompanha o desenvolvimento e o crescimento da protagonista em vários âmbitos. Lauren é determinada, precavida e muito sensata. Sem dúvidas, uma das personagens mais complexas que eu já conheci.

Nessa sociedade maluca e perigosa, não há espaço para romances, e a autora deixa isso bem claro ao longo do livro. Não há romance na história, o que temos são envolvimentos sexuais casuais e relacionamentos por conveniência. Tudo muito direto e condizente com a sociedade apresentada.

Tenho duas resalvas a fazer: primeiramente, eu não gosto da sinopse do livro, ela revela demais e impede que o leitor veja determinados acontecimentos por si só. Minha outra resalva é em relação ao final do livro, onde há dois extras: uma entrevista com a autora e uma sessão com questões para refletir. Ambos os conteúdos bônus são muito legais, não fosse pelo spoiler gigantesco presente na entrevista, sem nenhum aviso por parte da editora. Vale lembrar que esse é o primeiro livro de uma série. Portanto, recomendo que pulem a entrevista, o que é uma pena.

Além dessas duas ressalvas, é importante dizer que essa leitura não é para todos. A narrativa pode ser considerada lenta em alguns momentos. Felizmente, eu me envolvi muito com a história e amei o livro do começo ao fim. Em nenhum momento a história me cansou. Muito pelo contrário, eu me vi presa ao livro das primeiras até as últimas páginas.

Todos os personagens que vão surgindo ao longo do livro são incríveis e muito bem desenvolvidos. Lauren possui uma condição, chamada Síndrome da Hiperempatia, que torna a personagem ainda mais complexa e interessante. E certamente essa sua condição ainda será muito importante para o desenvolvimento da história. Há também um envolvimento amoroso no livro que é muito inusitado e que me encantou.

Toda a jornada da Lauren e sua crença inabalável na religião que ela está fundando é tocante e contagiante. Eu gostei muito de acompanhá-la. Só lendo para entender o quão única ela é. Ao longo do livro, Lauren dialóga com algumas pessoas sobre essa nova fé. Eu amei esses diálogos, parece que os personagens conseguiam perguntar a ela, as mesmas coisas que eu gostaria de perguntar.

E é claro que esse livro serve como um alerta assustador do que podemos enfrentar num futuro próximo. As previsões feitas por Butler não são, de forma alguma, impossíveis. E sabemos que pessoas desesperadas são capazes de tudo. Na verdade, muitas vezes, o livro funciona como um ensaio sobre a natureza humana, como vemos em ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA, de Saramago, em que ele nos mostra até onde podem chegar as pessoas em situações extremas. Nesse sentido, o livro também me lembrou o filme A ESTRADA.

A PARÁBOLA DO SEMEADOR é um livro forte, impactante, poderoso e inesquecível. A edição da Morro Branco está impecável, como sempre. A capa tem textura emborrachada e toda a diagramação está perfeita. Uma obra-prima indispensável.


Compartilhe este post:

13 COMENTÁRIOS

  1. Octavia tem esse poder de escrever livros fortes impactantes crus que mexem com a gente e fazem refletir.
    Tenho que me preparar psicologicamente para ler A Parábola do Semeador

    ResponderExcluir
  2. Priscila!
    Achei bem inteligente o autor ttrazer em um livro, um possível futuro próximo e todas as catástrofes que poderão ser enfrentadas pela humanidade, é uma grande reflexão e uma forma de tentarmos mudar nossas atitudes hoje, para melhoria futura.
    Achei bem interessante.
    Desejo uma ótima semana!
    “Se você realmente quer algo na vida, tem que lutar por isso.” (Homer Simpson)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  3. Olá Priscila,
    Não conheço a escrita da autora, e e is não tenho como julgar, mas dá para ver que o enredo criado por ela é incrível. Eu não gosto quando envolve religião, e como isso está bem presente na história, não faz tanto meu tipo, principalmente com narrativa lenta... Temas bem fortes são presentes na história né? Que bom que curtiu a leitura.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Priscila.

    A narrativa é convidativa em diversos aspectos, em especial por trazer e passar essa reflexão para o leitor acerca, principalmente, da sobrevivência, endossando uma realidade próxima da nossa. A agilidade da autora é vista no livro, e isso me fez pensar em lê-lo com veemência.

    E, não há forma mais íntima, mais próxima que faça com que o leitor tenha um contato mais direto com a personagem, do que através desse formato de diário. Então, esse detalhe pode ser muito viável na hora de realizar a leitura.




    ResponderExcluir
  5. Olá Priscila!
    Gostei desse livro, nunca tinha ouvido flar sobre ele, parece ter um enredo intenso e marcante, vai para os meus desejados com toda ctz!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Me apaixonei pela escrita da autora desde que tive a opotunidade de ler Kindred! Que diga-se de passagem é um senhor livro!!!Aliás, recomendo demais a quem ainda não leu.
    Apenas tinha visto este lançamento,mas confesso que é a primeira resenha e adoro livros assim, crus. Que mostram até onde o ser humano pode chegar em situações extremas, trazendo seu lado mais animal à tona.
    E adorei ver o nome de Ensaio Sobre a Cegueira ali, já que é um dos meus livros favoritos no mundo todo!
    Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Fez sucesso mesmo os livros dessa autora, tô gostando de ver. Teve um outro dela que gostei muito da ideia e esse é outro que chamou atenção de novo por isso. Um futuro que a gente consegue visualizar, uma coisa que assusta e alerta, que faz pensar. Parece bom por isso. Acompanhar a personagem se desenvolver, toda complexidade no caminho, mesmo que possa ter uma narrativa mais lenta me chama atenção e acho que leria fácil. Foi para os desejados, esse adoraria ler também.
    Mas que louco isso dos spoiler que o livro tem heim. Odeio quando leio alguma sinopse ou coisa assim, entrevista e tal e pego coisa que não queria ter pegado. É complicado =/

    ResponderExcluir
  8. Parece ser um livro muito doloroso de ler porque não é uma coisa impossível que possa acontecer no futuro. Nesses filmes de zumbis e guerras você vê o que as pessoas fazem para sobreviver. Diferente dos filmes, o livro traz algo real, uma crise ambiental que o nosso planeta pode sofrer, conhecer o verdadeiro ser humano por trás da dor e fome, em palavras deve ser chocante ler. Me despertou muita vontade de ler o livro. E alias, ótima resenha.

    ResponderExcluir
  9. Amei a capa do livro, me encantei com a história e fiquei bem interessada por ser um livro tão forte.
    Adorei a autora trazer à tona tudo que estamos propensos à ficar/ser/fazer. A capacidade do ser humano de cometer atrocidades (sendo em momentos de desespero ou não) é maior do que podemos imaginar - e tenho certeza que o livro mexe ainda mais com a cabeça do leitor que está ciente disso tudo.
    Adorei tudo, inclusive a resenha que me passou tantas emoções por essa leitura!!

    ResponderExcluir
  10. Olá! Confesso que não conhecia a autora, mas já gostei do enredo do livro, pois gosto muito de distopias e essa parece ser bem diferente de tudo que eu já li, trazendo temas mais pesados e relatos que podem num futuro não tão distante fazer parte da realidade do nosso dia-a-dia, me conquistaram de imediato.

    ResponderExcluir
  11. Oi mana, então eu to aqui pensando seriamente se vou ler esse livro não, livros que trazem sofrimento não fazem o meu estilo porque mana a vida já é triste e ler livros assim no meu caso não ajuda muito sabe ? Mas a curiosidade também é muito grande, eu não conhecia a autora na verdade se for pra ser bem sincera eu não me recordava nem mesmo da editora. Deve ser muito interessante o que você sentia quando lia esse livro, afinal ler sobre o pior lado da humanidade nunca é fácil. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  12. Olá!

    Já ouvi falarem deste livro. Realmente parece ser uma leitura forte e impactante, amo livros que mostram verdades sobre a atualidade, sobre o que estamos vivendo, e que mostrem um futuro possível, essas leituras que nos fazem pensar e repensar sobre nossos atos são sempre ótimas!

    ResponderExcluir
  13. Amei essa resenha.Se seu comentário sobre o livro já me fez parar para refletir sobre a humanidade, imagina a leitura de um livro com tais abordagens!!
    Ansioso parar ler.
    Abraços

    ResponderExcluir