CÉU SEM ESTRELAS

SINOPSE: Um romance sensível e envolvente sobre autoestima, família e saúde mental. Cecília acabou de completar dezoito anos, mas sua vida está longe de entrar nos trilhos. Depois de perder seu primeiro emprego e de ter uma briga terrível com a mãe, a garota decide passar uns tempos na casa da melhor amiga, Iasmin. Lá, se aproxima de Bernardo, o irmão mais velho de Iasmin, e logo os dois começam um relacionamento. Apesar de estar encantado por Cecília, Bernardo esconde seus próprios traumas e ressentimentos, e terá de descobrir se finalmente está pronto para se comprometer. Cecília, por sua vez, precisará lidar com uma série de inseguranças em relação ao corpo — e com a instabilidade de sua própria mente.
AUTORA: Iris FIGUEIREDO
EDITORA: Seguinte
PUBLICAÇÃO: 2018
PÁGINAS: 357

Sobre CÉU SEM ESTRELAS: como não amar.

Eu sou uma leitora que ama romances, mas de uns tempos para cá, venho percebendo que os romances costumam ser muito iguais, todos com aquele casal perfeito o tempo todo, e ao ler CÉU SEM ESTRELAS, pude perceber que existem romances bons sem o clássico perfeccionismo.

Cecília, nossa protagonista, é muito insegura, algo que acontece muito com adolescentes, e até mesmo adultas. A principal insegurança da garota é sobre seu corpo. Cecília está acima do peso, sim, mas onde está escrito qual é o peso correto de uma pessoa? Onde diz que para sermos padrões de beleza, temos que ser magras?

Isso é o que as pessoas ao redor de Cecília tentam mostrar a ela, e é incrivelmente satisfatório um livro onde outros personagens tendem a cuidar, amar, e mostrar a alguém tão inseguro de si, que a pessoa não precisa disso, que ela tem que ser do jeito que quiser ser.

E esse é o foco principal do livro: mostrar que o amor próprio pode te ajudar em todos os momentos da sua vida, e que você precisa se amar.

Além desse foco incrível na insegurança sobre o corpo, temos sobre depressão, ataques de pânico, suicídio e automutilação. Já ouvi muitas pessoas dizerem que quem se corta está fazendo drama, está fazendo porque quer, porque é maluco, e julgar não vai ajudar a ninguém a sair disso. Então, antes de sair falando besteiras, devemos pensar que: pessoas que se automutilam acham que a dor física é uma forma da dor emocional, aquela que você não consegue tirar de dentro de você, e isso alivia, faz ela achar que está no controle de algo; que, sentindo essa dor física, vai ficar tudo bem. Eu digo por experiência própria que não vai. Uma hora esse “alívio” não vai mais ser suficiente, e você vai se afundar cada vez mais. 

Então, não pensem que estão sozinhos, que ninguém os ama, e que ninguém se importa, procurem ajuda de pessoas especializadas para ajudá-los a superar, não tenham medo, não tenham vergonha. Todos nós passamos por coisas difíceis, e cada um sente de uma forma diferente, não se sinta fraco, você é forte por estar aqui e estar lutando.

Mas voltando ao foco do livro: Cecília sempre foi apaixonada por Bernardo, o irmão da sua melhor amiga, Iasmin. Então, depois de problemas com a mãe, a garota passa uns tempos com a família Campanati, o que leva ao início do romance dos dois.

Eu me surpreendi com o Bernardo, porque achava que ele seria mais um bad boy babaca que pegaria várias, porém ele se mostrou uma pessoa diferente e trouxe uma perspectiva diferente no livro. Os capítulos são bem curtos, e acredito que isso ajuda a leitura a fluir (fujo de livros com capítulos grandes), e temos o ponto de vista do Bê e da Ceci.

Eu acreditava ser apenas mais um romance que leria, acabei me surpreendendo e me apaixonando por esse livro, e sinto um orgulho de dizer que é um livro nacional.

Realmente acredito que deveriam ler CÉU SEM ESTRELAS, pois, como já disse, ele traz questões pelas quais muitas adolescentes estão passando e não sabem lidar, e seria bom se identificar com uma personagem e perceber que, assim como ela, vocês também não estão sozinhas.


Compartilhe este post:

Amanda Mesquita

Moro em Guarulhos, São Paulo, sou do signo de trouxas, amo comer coxinha, torta de bis com morango, açaí e cachorro-quente de 50 metros de comprimento, sentada em uma mesa, ao lado da minha melhor amiga, no meio da bienal.

14 COMENTÁRIOS

  1. Oi mana, se não tivesse a sua resenha eu ia passar batido por esse livro, eu estou mesmo procurando um bom romance pra ler, pra sair um pouco dos gêneros que eu mais leio que ainda se enquadra no romances mas eles são mais pro lado da comédia romântica. Como a nossa personagem eu também tenho alguns problemas com autoestima e acho que lendo esse livro pode até mesmo ser uma boa ajuda para o meu caso. Vou procurar comprar esse livro pra ler com certeza e obrigada pela sua resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Primeiramente: SE AME PORQUE VOCÊ É INCRÍVEL.
      Tenho certeza que céu sem estrelas pode te ajudar a ver que você não está sozinha. Só peço para que não se foque nos fatos mais pesados, e sim nos bons, espero que te ajude ♥

      Excluir
  2. Oi, Amanda.

    Ultimamente, volta e meia estou procurando livros intensos e sensíveis, como esse, por viabilizar assuntos importantes e presentes na vida de muitas pessoas.

    Não sabia da intensidade e abordagens presentes no livro, então agora, mais do que nunca, desejo lê-lo.

    ResponderExcluir
  3. Amanda!
    Um romance que aborda tema importantes como a questão da aceitação do seu pr´prio corpo,depressão, ataques de pânico, suicídio e automutilação, realmente é bem diferenciado e sai da mesmice do plot comum dese tipo de livro, bem interessante.
    A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Uauuu!Que sinopse e que resenha!
    Já tinha visto a divulgação do livro mas redes sociais da Seguinte mas não tinha parado para ler A sinopse! Que vacilo!
    Gostei muito e com certeza vou ler pois quero muito conhecer Cecília e Bernardo.

    ResponderExcluir
  5. Não vou negar que adoro um romance destes água com açúcar que a gente vive lendo por aí, sempre tudo igual, tudo no mesmo roteiro desenhado. Amo um bom clichê!rs
    Mas também sou fã de livros que trazem personagens mais reais, com problemas reais, que sempre nos remetem a nós mesmos ou a alguém que conhecemos. Histórias que trazem problemas reais,que podem ser sim, resolvidos de alguma maneira.
    Por isso, adorei conhecer o livro acima e ler esta resenha. Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Também amo os famosos clichês e sou apaixonada por aqueles bad boys que nunca vão existir, mas com certeza Céu sem Estrelas mostra que os garotos podem ser reais e te amarem como você é, mesmo que você não pareça se amar.
      Espero que goste assim como eu ♥

      Excluir
  6. Olá! O livro traz uma história muito bonita, apesar de abordar temas tão fortes e que acredito vai ajudar algumas pessoas que acabam passando pela mesma situação. Muito legal vê histórias lindas surgirem de autores tupiniquins. Já estou encantada com o Bernardo só com a resenha, imagina lendo.

    ResponderExcluir
  7. Parece bem fofa essa história então. Tá bom que tem uns temas pesados, tipo isso de depressão e essas coisas, mas achei legal a ideia de passar essa lição de que se amar, amar seu corpo e você do jeito que é, é o melhor que a pessoa pode fazer por si mesma. Essencial. Tão verdade isso...
    E ainda tem um romance pra gente ficar ali bem envolvido e torcendo. Gostei. Parece uma trama boa e que acaba surpreendendo. Uma personagem real e uma história que encanta fácil.

    ResponderExcluir
  8. Não sou muito de ler nacionais, mas fiquei bem interessada no que esse livro transmite ao leitor. Perdi um pouco do encanto por romance exatamente pela mesmice e o perfeccionismo do casal, mas senti que esse livro é bem diferente. A história de Cecília e o fato dela ter pessoas que lhe dão apoio e ajuda podem dar muito incentivo tanto para quem precisa de ajuda quanto para quem quer ajudar uma outra pessoa.
    Adorei!!

    ResponderExcluir
  9. Oi Amanda,
    De fato, os romances que ando lendo seguem uma mesma linha, infelizmente não inovam nos enredos...
    A história é bem bonita, e é bom saber que o mocinho surpreende, mas, o que eu mais gostei foi o fato das pessoas a volta de Cecília não a julgarem pelo peso, pelo contrário, a ajudarem a aceitar isso, nos livros que li, nunca me deparei com isso, só com pessoas (inclusive da própria família) que ridicularizavam a outra ...
    Eu já tinha adorado por conta da capa e da sinopse, sabendo que a história é ainda mais profunda me ganhou!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Amanda!
    Só de er a capa eu já me interessei, o enredo parece ser lindo, gosto mto do gênero e acredito que a leitura será excelente, já add aqui na listinha.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Livros com essa temática sobre emocional instável já me fazem querer lê-los por si só, e com essa resenha então, com certeza adicionada a wishlist.
    E antes que eu esqueça, só orgulhos desses autores nacionais haha
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Queria tanto esse livro :(

    ResponderExcluir